gastronomia

Livro – Um ano na Provence

Quem não gostaria de largar tudo e recomeçar a vida num dos lugares mais charmosos do mundo?

Pois é, Peter Mayle e sua esposa fizeram o que, para a maioria de nós, continua sendo apenas um sonho, quando resolveram morar numa casa no sul da França.

Eu li “Um ano na Provence” há anos, e nunca mais esqueci dos detalhes. Foi o primeiro livro com tema de viagem que realmente me prendeu do início ao fim. Temas de viagem para Europa, especificamente a França, me fazem viajar literalmente.

Se trata de um livro autobiográfico, e cada capítulo fala sobre um mês do ano que o autor passou na Provence.

A história é muito bem narrada, cheia de descobertas e conhecimentos que transbordam a paixão pelo lugar que eles escolheram morar, com todos os sabores, cores e culturas.

Se o livro tivesse cheiro seríamos presenteados com sensações detalhadas das comidas e banquetes sobre os pastis, os azeites e as sobremesas.

Outro ponto encantador é a descrição da humildade dos cozinheiros anônimos capazes de superar grandes chefs parisienses, as implicâncias de um vizinho que faz de tudo para expulsar os turistas; as curiosas corridas de cabras; e a força perturbadora do vento mistral, que arranca telhas e destrói encanamentos.

Isso tudo é tão bem descrito que vai nos deixando com água na boca, sonhando com as maravilhas do sul da França.

A Provença, como também é chamada em português, é uma região no sudeste da França, cheia de belas paisagens, com destaque para os campos de lavanda (fielmente retratados no livro), lojinhas charmosas e cantinhos especiais, capazes de proporcionar uma vida tranquila em todas as estações do ano.

Se você gosta de livros despretensiosos, agradáveis e com histórias lindas, esse é pra você.

E se, assim como eu, adora o idioma francês, será maravilhoso conhecer não só a um pouco da língua, como também uma parte importante da cultura do país.

“Vocês nunca ficam entediados?, indagou um dos seus amigos ingleses, em visita ao local. “Não, nunca temos tempo para tédio! Há o jardim a ser projetado e plantado, uma nova língua a aprender, povoados, vinhedos e feiras a descobrir “, responde Mayle, que compartilha com o leitor essas vivências.

O livro não é um guia gastronômico, não há dicas de receitas, mas é um livro sobre o relato em primeira mão de quem deixou a cidade grande para se entregar à experiência de desfrutar de uma vida mais calma, num local onde o tempo é governado pelas estações do ano e não pelos dias.

Todos os prazeres rústicos da vida provençal estão reunidos neste relato fascinante, misto de caderno de viagens, crônica e romance – obra que deve ser degustada com o melhor dos vinhos.

E, sim, é um livro para quem ama ler e viajar – quase na mesma proporção!

0 comment

Cinque Terre

Olá, 2022!

Primeira semana do ano e a lembrança foi parar lá na Itália, em Cinque, um dos lugares mais incríveis do mundo!

Cinque Terre foi um dos lugares que eu mais queria visitar na Itália, e sempre penso na próxima vez que voltarei.

Localizada na região de Ligoria, Cinque Terre está muito próxima de grandes cidades como Florença e Milão, mas é diferente delas em vários aspectos.

É muito difícil chegar lá de carro ou ônibus, por isso ela se manteve tão autêntica ao longo dos anos. A melhor maneira de chegar é de trem. O trecho entre Florença e La Spezia (base para chegar nas Terre) dura por volta de 2 horas. E o trajeto completo de trem entre as Terre leva em torno de 30 minutos.

A sensação que eu tenho é que parece que o tempo quase parou em Cinque, e que a vida lá é muito mais simples, no melhor sentido da palavra.

O ritmo é mais lento e é divertido passear pelas aldeias e aproveitar o clima solar.

A paisagem é rural, a comida não é tão refinada e não há atrações turísticas imperdíveis na área.

Cinque Terre inclui cinco pequenas aldeias pitorescas na costa noroeste da Itália:

  • Monterosso al Mare
  • Vernazza
  • Corniglia
  • Manarola
  • Riomaggiora

As cinco aldeias são patrimônio mundial da UNESCO, fato que não é difícil de entender.

É maravilhoso passar o dia apreciando as casas coloridas nas margens de penhascos, as vinhas verdes e olivais, os barcos coloridos ancorados nos pequenos portos, as vistas do oceano e um pôr do sol de tirar o fôlego.

Embora a maioria das pessoas venha a Cinque Terre para uma viagem de um dia, o ideal é ficar uns dois ou três. 

Cinque Terre é sem dúvida um dos lugares mais visitados da Itália, e a magia começa ao descobrirmos a beleza do lugar!

0 comment

10 lugares para conhecer na Espanha

A Espanha reabre para brasileiros – e sim, permite entrada com a vacina Coronavac – 14 dias após a segunda dose.

O Consulado Espanhol no Brasil divulgou, na última segunda-feira, que os brasileiros vacinados serão aceitos como viajantes na Espanha.

Todas as vacinas são aceitas: Coronavac, Pfizer, AstraZeneca e Janssen e não será necessário fazer quarentena. As medidas são válidas a partir das 00h01 de terça-feira (24).

De acordo com as informações do site oficial, os viajantes vacinados só poderão entrar na Espanha com o comprovante de vacinação, após 14 dias da segunda dose. Testes contra a Covid-19 podem ser feitos no aeroporto.

Para serem aceitos, os brasileiros devem obter o certificado digital do Ministério da Saúde do Brasil na versão em Espanhol. Todos os passageiros que chegarem ao aeroporto serão submetidos a uma checagem de saúde, ainda que seja uma simples aferição de temperatura.

É necessário, também, preencher um formulário de controle de saúde, disponível no link: http://www.spth.gob.es. Depois de preenchido, o site deve gerar um QR Code, que será apresentado tanto no momento do embarque quanto na chegada à Espanha.

A Espanha é um país incrível para explorar, conhecer e se aventurar. É muito mais do que belas praias ou as Ilhas Baleares. 

Não que esses lugares não sejam lindos (eles são maravilhosos), mas a Espanha é um país muito vasto, cheio de coisas acontecendo. 

Existem literalmente milhares de lugares na Espanha para visitar que você certamente sentirá falta se quiser visitar só as praias.

Essa lista tem 10 lugares imperdíveis para conhecer e se apaixonar!

  • Valencia
  • Bilbao
  • Madri
  • Barcelona
  • San Sebastian
  • Ibiza
  • Rioja
  • Sevilha
  • Granada
  • Málaga 

Sei que é difícil conhecer tudo na mesma viagem, mas se tiverem que priorizar, a sequência seria:

Madri

Capital e um dos lugares mais culturais do mundo.

Barcelona

A cidade mais cosmopolita da Espanha, cheia de opções de lazer, com atrações culturais e história, para deixar qualquer um encantado.

Ibiza

Para quem ama praia e agito noturno, Ibiza é a combinação perfeita.

Sevilha

A cidade é famosa pela dança flamenca e pelos monumentos, principalmente o ornamentado complexo do castelo Alcázar.

E por último… Rioja

Lá, o festival de verão tem a Batalla de Vino (batalha de vinho), que deixa os participantes sujos de vinho, e o Museo del Vino conta a história do vinho. As vinícolas locais vão desde pequenas adegas tradicionais até grandes produtores comerciais.

A Espanha reabriu e já estamos contando os dias para voar pra lá!

0 comment

French toast: a clássica torrada francesa

Foi num domingo preguiçoso que deu vontade de comer a famosa french toast ou torrada francesa ou, como chamamos por aqui, rabanada.

Não costumo chamar rabanadas de french toast porque aqui no Brasil fazemos rabanadas de outra maneira. Claro que os sabores são muito parecidos, mas, pra mim, não é exatamente a mesma coisa.

A French toast é mais despretenciosa… você faz em no máximo 10 minutos, pode colocar várias coberturas e serve quentinha no café da manhã ou lanche da tarde.

Existem muitas histórias sobre a origem da french toast.

Uma delas diz que foi criada pela necessidade de reaproveitar o pão (dormido), já que sempre foi considerado um alimento sagrado. Sua origem se remete a Portugal, mas encontramos variações da torrada no mundo todo.

As mais famosas são: o “Eggy bread” na Inglaterra, a “French toast” nos EUA, que, apesar de ser um prato típico da França, foram os Estados Unidos que divulgaram essa delícia para o mundo inteiro, e o “Pain Perdu” (pão perdido) na França.

Isso mostra que a influência francesa na rabanada/torrada é muito mais forte do que a portuguesa.

E para os loucos por french toast, aqui vai uma receitinha rápida e deliciosa para matar a vontade dessa torrada tão famosa.

Você vai precisar de:

4 a 6 fatias de pão (de forma, brioche ou de sua preferência) ou a quantidade necessária só para você! 

2 ovos

1 colher (chá) de extrato de baunilha (opcional)

2 colheres (chá) de canela

2 colheres (sopa) de açúcar

1 pitada de sal

3/4 de xícara (chá) de leite

1 fio de óleo

1 colher (sopa) de manteiga

Modo de preparo

Em uma tigela não muito funda, coloque os ovos e o açúcar. Bata com ajuda de um fouet até o açúcar dissolver completamente.

Acrescente a baunilha, a canela e o sal e bata durante 1 minuto para os ingredientes se misturarem bem.

Por último, acrescente o leite e bata até que ele tenha sido completamente incorporado.

Leve uma frigideira ao fogo médio e aqueça o óleo com a manteiga.

A manteiga serve para dar o sabor à french toast e o óleo impede que a manteiga queime.

Quando a manteiga estiver levemente dourada, molhe as fatias de pão na mistura e coloque na frigideira. Não deixe muito tempo na mistura para a french toast não ficar úmida e mole.

Depois que french toast estiver na frigideira, não mexa. Deixe dourar por cerca de 1 a 2 minutos e então vire com uma espátula. Deixe mais 1 minuto para dourar o outro lado.

Repita o processo com todas as fatias de pão.

Apesar da french toast ser deliciosa mesmo pura, existem diversos acompanhamentos para ela. 

Entre os mais tradicionais, você pode usar mel e as geleias, frutas, cremes, doces e até sorvete.

Aproveitem e voltem pra dizer se deu certo!

0 comment

5 restaurantes em Notting Hill – Londres

Quem segue o blog sabe que, assim que eu fecho uma viagem, já começo a pesquisar sobre shows, cafés e restaurantes da cidade que vou visitar.

Não é novidade também que este blog fala muito sobre comida, cafés e sobremesas. :)

Em Notting Hill não seria diferente.

Além de toda diversidade de uma cidade como Londres, os restaurantes desse bairro específico são realmente muito bons, para todos os gostos e bolsos!

Sim, eu sei que Notting Hill está totalmente relacionado ao Carnaval e à possibilidade de conhecer e se apaixonar por Julia Roberts em uma certa livraria!

Mas apesar disso, quero dizer que Notting também pode ser perfeito para um típico café da manhã londrino, um almoço entre amigos ou um jantar a dois.

Aqui temos 5 restaurantes imperdíveis por lá:

1) Luna Rossa

Esse é o lugar para os s apaixonados por comida italiana. Pratos fartos e deliciosos, com destaque para o melhor cannoli da vida!


2) Granger & Co

O melhor café da manhã! Esse vocês precisam conhecer.

O lugar é lindo, e a comida é muito especial. Tem tudo que a gente ama no café da manhã: panquecas, ovos, bacon, pães, frutas, docinhos e a mistura de sabor é incrível.

Vale a pena ir cedo e fazer um brunch até a hora do almoço!

3) Ledbury

Esse já foi eleito o melhor restaurante de Notting Hill. Perfeito para jantar a dois, o restaurante recebeu duas estrelas Michelin.

Embora não seja um restaurante barato (o menu custa em torno de 150 libras por pessoa) é uma experiência diferente e saborosa para quem curte pratos mais elaborados.

No almoço o restaurante faz um menu diferente, cobra menos (80 libras), e deixa com a mesma sensação de ter ido jantar.

4) Daylesford W11

Mais um que entra para o hall dos melhores cafés da manhã de Londres!

A diferença aqui é o lugar e a maneira como as refeições são produzidas, todas com itens orgânicos.

Sim, o restaurante é comandado pela premiada Fazenda Orgânica Daylesford, de onde trazem produtos orgânicos para a cidade diariamente.

É um jóia escondida e o café orgânico é o ponto alto para quem gosta de um bom café!

5)  Kalamaras Greek Taverna

O mais despojado de todos!

Um lugar para estar com amigos, apreciar boa comida e bater papo a noite toda.

Esse é o clima do Kalamares: música boa, atmosfera incrível, e pessoas que nos fazem pensar que estamos mesmo numa ilha grega!

E aí? Quem tem mais dicas de restaurantes em Notting Hill?

0 comment