gastronomia

French toast: a clássica torrada francesa

Foi num domingo preguiçoso que deu vontade de comer a famosa french toast ou torrada francesa ou, como chamamos por aqui, rabanada.

Não costumo chamar rabanadas de french toast porque aqui no Brasil fazemos rabanadas de outra maneira. Claro que os sabores são muito parecidos, mas, pra mim, não é exatamente a mesma coisa.

A French toast é mais despretenciosa… você faz em no máximo 10 minutos, pode colocar várias coberturas e serve quentinha no café da manhã ou lanche da tarde.

Existem muitas histórias sobre a origem da french toast.

Uma delas diz que foi criada pela necessidade de reaproveitar o pão (dormido), já que sempre foi considerado um alimento sagrado. Sua origem se remete a Portugal, mas encontramos variações da torrada no mundo todo.

As mais famosas são: o “Eggy bread” na Inglaterra, a “French toast” nos EUA, que, apesar de ser um prato típico da França, foram os Estados Unidos que divulgaram essa delícia para o mundo inteiro, e o “Pain Perdu” (pão perdido) na França.

Isso mostra que a influência francesa na rabanada/torrada é muito mais forte do que a portuguesa.

E para os loucos por french toast, aqui vai uma receitinha rápida e deliciosa para matar a vontade dessa torrada tão famosa.

Você vai precisar de:

4 a 6 fatias de pão (de forma, brioche ou de sua preferência) ou a quantidade necessária só para você! 

2 ovos

1 colher (chá) de extrato de baunilha (opcional)

2 colheres (chá) de canela

2 colheres (sopa) de açúcar

1 pitada de sal

3/4 de xícara (chá) de leite

1 fio de óleo

1 colher (sopa) de manteiga

Modo de preparo

Em uma tigela não muito funda, coloque os ovos e o açúcar. Bata com ajuda de um fouet até o açúcar dissolver completamente.

Acrescente a baunilha, a canela e o sal e bata durante 1 minuto para os ingredientes se misturarem bem.

Por último, acrescente o leite e bata até que ele tenha sido completamente incorporado.

Leve uma frigideira ao fogo médio e aqueça o óleo com a manteiga.

A manteiga serve para dar o sabor à french toast e o óleo impede que a manteiga queime.

Quando a manteiga estiver levemente dourada, molhe as fatias de pão na mistura e coloque na frigideira. Não deixe muito tempo na mistura para a french toast não ficar úmida e mole.

Depois que french toast estiver na frigideira, não mexa. Deixe dourar por cerca de 1 a 2 minutos e então vire com uma espátula. Deixe mais 1 minuto para dourar o outro lado.

Repita o processo com todas as fatias de pão.

Apesar da french toast ser deliciosa mesmo pura, existem diversos acompanhamentos para ela. 

Entre os mais tradicionais, você pode usar mel e as geleias, frutas, cremes, doces e até sorvete.

Aproveitem e voltem pra dizer se deu certo!

0 comment

5 restaurantes em Notting Hill – Londres

Quem segue o blog sabe que, assim que eu fecho uma viagem, já começo a pesquisar sobre shows, cafés e restaurantes da cidade que vou visitar.

Não é novidade também que este blog fala muito sobre comida, cafés e sobremesas. :)

Em Notting Hill não seria diferente.

Além de toda diversidade de uma cidade como Londres, os restaurantes desse bairro específico são realmente muito bons, para todos os gostos e bolsos!

Sim, eu sei que Notting Hill está totalmente relacionado ao Carnaval e à possibilidade de conhecer e se apaixonar por Julia Roberts em uma certa livraria!

Mas apesar disso, quero dizer que Notting também pode ser perfeito para um típico café da manhã londrino, um almoço entre amigos ou um jantar a dois.

Aqui temos 5 restaurantes imperdíveis por lá:

1) Luna Rossa

Esse é o lugar para os s apaixonados por comida italiana. Pratos fartos e deliciosos, com destaque para o melhor cannoli da vida!


2) Granger & Co

O melhor café da manhã! Esse vocês precisam conhecer.

O lugar é lindo, e a comida é muito especial. Tem tudo que a gente ama no café da manhã: panquecas, ovos, bacon, pães, frutas, docinhos e a mistura de sabor é incrível.

Vale a pena ir cedo e fazer um brunch até a hora do almoço!

3) Ledbury

Esse já foi eleito o melhor restaurante de Notting Hill. Perfeito para jantar a dois, o restaurante recebeu duas estrelas Michelin.

Embora não seja um restaurante barato (o menu custa em torno de 150 libras por pessoa) é uma experiência diferente e saborosa para quem curte pratos mais elaborados.

No almoço o restaurante faz um menu diferente, cobra menos (80 libras), e deixa com a mesma sensação de ter ido jantar.

4) Daylesford W11

Mais um que entra para o hall dos melhores cafés da manhã de Londres!

A diferença aqui é o lugar e a maneira como as refeições são produzidas, todas com itens orgânicos.

Sim, o restaurante é comandado pela premiada Fazenda Orgânica Daylesford, de onde trazem produtos orgânicos para a cidade diariamente.

É um jóia escondida e o café orgânico é o ponto alto para quem gosta de um bom café!

5)  Kalamaras Greek Taverna

O mais despojado de todos!

Um lugar para estar com amigos, apreciar boa comida e bater papo a noite toda.

Esse é o clima do Kalamares: música boa, atmosfera incrível, e pessoas que nos fazem pensar que estamos mesmo numa ilha grega!

E aí? Quem tem mais dicas de restaurantes em Notting Hill?

0 comment

Top 5 cafés em Paris

Uma das coisas que mais gosto de fazer em viagem é descobrir cafés charmosos pelo caminho. 

Além de ser apaixonada pela bebida, eu adoro o clima das cafeterias, o cheiro, ver a movimentação das pessoas no lugar.

Em Paris, as cafeterias tem uma energia tão boa, que descobrir esses lugares é quase uma obrigação pra mim. 

Se você também é louco por cafés, dá uma olhada nessa listinha com algumas opções por lá. 

 

1) Soul Kitchen 

Uma cantina super charmosa no coração da Montmartre!

As 3 chefs que comandam o lugar conseguem transformar o café numa experiência muito agradável. O cardápio é grande, com muitas opções de cafés, pães e bolos. 

 

2) Terres de Café

Esse fica no Marais e a dica aqui (se estiver sozinho) é sentar no balcão, pertinho do barista. Mas vale a pena esperar uma mesa se tiver companhia. 

Eles servem cafés de todos o canto do mundo, entendem muito do assunto e o ambiente é muito descolado. Não deixem de visitar!

 

3) Café Verlet

Se estiver perto do Louvre, o Verlet é a melhor opção por ali.

É um dos cafés mais antigos de Paris e ainda conta com o charme da decoração e atendimento familiar.

Ótima escolha para descansar e degustar bons cafés depois de visitar o museu.

 

4) La Caféothèque Paris

Um dos mais charmosos da lista… a começar pela localização: fica na Ilê Saint-Louis.

Sou suspeita para falar, mas esse é um dos lugares que mais amo em Paris!

E essa cafeteria é uma das mais lindas e interessantes da cidades.

Além de um menu incrível, ainda fazem cursos sobre a profissão de barista, aulas sobre as melhores torras e muitas outras atividades. Se tiver que escolher um, minha sugestão é essa aqui!

 

5) Café des 2 Moulins

Esse é o famoso café da Amélie Poulin!

Fica na Montmartre e continua idêntico ao que vemos no filme. Para quem gosta do filme, a visita é obrigatória! 

Servem bons cafés, mas o cardápio não é tão variado quanto os outros listados acima.  Vale visitar nem que seja pela atmosfera, decoração e energia do lugar. 

 

E vocês? Quais as cafeterias preferidas em Paris?

 

0 comment

7 razões para visitar Santorini

Desde que pisei em Santorini, tive certeza que a ilha é um dos lugares mais bonitos do mundo! E sei que ainda faltam alguns países para conhecer, mas essa ilha certamente estará sempre na lista dos lugares mais incríveis do mundo. 

Cada canto novo parece mais lindo que o anterior e as imagens nunca serão capazes de capturar sua atmosfera hipnotizante.

Se você ainda está pensando se deve colocar Santorini na sua lista de desejos, confira essa lista com 7 motivos para visitar a ilha grega:

 

1. Por causa do pôr do sol em Oia

A menos que você tenha trauma de multidão e prefira um lugar um pouco mais quieto, seu pôr do sol preferido será em Oia. Mas com toda a honestidade, você não pode perder o pôr do sol em Imerovigli.

É uma espécie de mágica que acontece quando o sol se põe, uma sensação absurda de paz e pertencimento. 

 

2. Porque você pode percorrer a ilha toda andando ou de quadriciclo

Existem algumas maneiras de se locomover pela ilha: alugar um carro, quadriciclo, táxi ou ônibus.

No entanto, o táxi pode ficar caro e os ônibus te dão menos flexibilidade. As estradas são, em sua maioria, calçadas feitas com pedras, estreitas e os motoristas gregos são loucos (mas muito talentosos), e o que nos deixa mais confortáveis é alugar um ATV.

Alugar um ATV, também conhecido como quadriciclo, é a melhor e mais popular maneira de se locomover pela ilha, especialmente pelas colinas íngremes e o calor. Além disso, é muito divertido, juro!

Dependendo da época, tamanho e tipo, seu ATV pode custar de 25 a 40 euros por 24 horas. Mais 8 a 10 euros por dia de combustível… preços referentes a um ATV de 200cc.

É uma maneira maravilhosa e divertida de ver a ilha com seus próprios olhos e tempo. Definitivamente é a melhor maneira de conhecer Santorini, apenas certifique-se de ter uma carteira de motorista válida.

 

3. Porque todo jantar pode ser com uma vista deslumbrante

Com vistas deslumbrantes sobre o mar Egeu e caldeira, Santorini vai superar completamente as suas expectativas em relação a  “jantar com vista”.

Se você estiver procurando por restaurantes que combinem vistas maravilhosas com deliciosos pratos, os mais populares são: Ambrosia, 1800, Lauda, ​​em Oia, Archipelagos, o V Lounge, em Fira, e o restaurante Kapari Wine, em Imerovigli.

 

4. Por causa das praias exclusivas

Santorini não é conhecida por suas praias, então não espere a típica areia branca e a vista de águas cristalinas que você geralmente associa à Grécia.

As praias são vulcânicas, com pedras vermelhas ou pretas, seixos, cascalho, e ficam muito quentes nos pés.

No entanto, isso as torna únicas e as fazem merecedores de uma visita. 

Sugiro as praias abaixo para entender como são diferentes, mas tão belas quanto aquelas de areia branca. 

Red-Beach-of-Akrotiri-Santorini

Praia Vermelha: A “famosa” praia de Santorini. Tem pedras vulcânicas pretas e vermelhas em vez de areia e água quente. Certifique-se de usar sapatos fechados, a caminhada pode ficar escorregadia e a areia fica extremamente quente.

Kamari beach

Um resort de praia cosmopolita situado na parte sul de Santorini, ao lado de Perissa, com a enorme pedra chamada Mesa Vouno entre eles. A areia é preta e as águas são profundas e azuis, cheia de atividades (mergulho) disponíveis. Há cafés próximos, bares, restaurantes, lojas e supermercados, e claro,  uma animada vida noturna que o torna um destino ainda mais popular.

Perissa

Perissa / Perivolos: Perissa e Perivolos são praias longas. Perivolos fica no outro extremo da praia de Perissa e é um parte bem tranquila, mais agitada durante o dia do que a noite. Perissa é mais animada, com fácil acesso a todos os bares, restaurantes, cafés etc.

 

5. Porque você precisa pular em Amoudi Bay

Em Ammoudi Bay, desça os degraus e siga as placas que dizem “Ammoudi Bay”.

Depois de chegar à água, vire à esquerda e continue descendo até ver um restaurante de frutos do mar. Continue seguindo o caminho passando pelo restaurante e você encontrará um pequeno penhasco de rocha à sua direita, para o qual você terá que nadar. Há uma escada localizada na parte de trás do penhasco de frente para a cidade.

Você pode pular dos lugares mais baixos ou lá de cima… o importante é ir, porque essa é a cor de água mais incrível de lá. 

 

6. Por causa da vida noturna em Fira

Embora Santorini não seja Mykonos, ainda oferece uma vida noturna super badalada, concentrada principalmente em Fira.

Começamos a noite pelo Franco’s Bar, conhecido por sua música clássica ao pôr do sol. As pessoas que querem ouvir música grega vão ao Club 33.

O Koo Club é provavelmente o clube mais popular de Santorini e toca muitos tipos de música, de pop a grega. O Highlander é o único bar escocês da ilha, mas a música varia do pop e rock ao trance e dance.

Muitos bares e clubes fazem “happy hour” para convidar as pessoas mais cedo, mas durante a alta temporada (de julho a agosto) a diversão só começa depois da meia-noite.

 

7. Porque você pode fazer as compras mais legais da sua vida

Agora chegamos numa parte que muita gente adora, fazer compras.

Santorini tem de tudo: lindas joalherias artesanais, boutiques de roupas, lojas de vinhos, arte local, artesanato e muito mais.

Se você tiver uma chance, eu recomendo ir para Oia após o pôr do sol e caminhar por todos os pequenos mercados e boutiques. A vista e atmosfera já valem a experiência. Há achados mais baratos, como joias, artesanato e roupas, e há boutiques de luxo com jóias mais caras e marcas como Cartier e Chanel.

Como são mais de 40 joalherias, muitas delas em Fira, o lugar recebeu o nome de “Gold Street”.

Essa é outra ótima maneira de passar algumas horas e fechar o dia com um sorvete delicioso!

E aí, ainda tem dúvida de que precisa conhecer Santorini?

 

0 comment

Cheval Blanc – St. Barth

Do avião já é possível perceber a água azul turquesa e uma vegetação linda lá embaixo.

Me preparei para o pouso na pista mais curta que eu já vi na vida, entre uma colina íngreme e uma praia de areia branca, mas felizmente foi mais legal do que assustador. Minutos depois já tinha um motorista esperando para nos levar para o hotel!

Flamands Beach, fica a apenas 2,7 km do aeroporto na costa norte e abriga o belo Cheval Blanc, nossa casa nos próximos dias.

O hotel fica na extremidade da enseada ao lado de uma fileira de casas à beira-mar, onde os donos são frequentemente vistos andando com seus cachorros ou jantando nos restaurantes do hotel.

Ao contrário das outras ilhas do Caribe, St Barths é território francês e realmente a gente sente como se estivesse em St Tropez!

Mas não precisa se preocupar, a equipe toda fala inglês e são muito receptivos, profissionais e chiques, sim… uma equipe maravilhosa. E esse estilo impecável continua nos interiores do hotel, onde toques de rosa percorrem todo os cômodos, como se fosse uma casa de praia mesmo, dessas bem intimistas.

É minimalista, elegante e a atenção aos detalhes é excelente. É tudo tão lindo que eu queria que eles vendessem alguns dos utensílios para que eu pudesse trazer um pouco desse lugar comigo.

São 40 quartos, incluindo suítes à beira-mar com piscinas de borda infinita privativas, bangalôs nos jardins e banheiras de hidromassagem.

Meu quarto tinha vista para a piscina e praia, e assim que cheguei fui recebida com o pôr-do-sol perfeito, champanhe e morangos frescos com chocolate – tudo divino. A cama é super confortável, o banheiro é grande e cheio de produtinhos que a gente adora.

Toda noite você recebe um presente surpresa: chinelos decorados, uma bolsa de praia, colar de flores. É muito legal esperar o que vai chegar para o dia seguinte. 

Se você gosta de bons restaurantes e comidas que enchem os olhos, certamente não ficará desapontado em nenhum dos restaurantes.

O primeiro, La Cabane de l’Isle, fica na praia e é a mistura perfeita de mesas brancas, pés na areia e muita sombra. Tem sempre um mini-desfile com as modelos locais que desfilam com roupas à venda na boutique do hotel.

A degustação de vinhos também é uma opção por aqui, que aliás foi uma ótima maneira de começar a noite antes do jantar.

Em outra noite, degustamos um menu degustação de sete pratos, criado pelo Chef Vinsot, que foi excelente e é perfeito para qualquer casal em lua de mel.

O segundo restaurante, La Case de l’Isle, fica à beira da piscina e serve um vasto buffet de café da manhã. Não deixem de experimentar a salada de lagosta e os camarões com arroz negro.

Eu sei que nem todo mundo quer relaxar na praia o dia todo, então, se você está atrás de uma lua-de-mel mais ativa, há muitas opções pela ilha.

Gustavia, a capital, fica a cerca de 4 km de distância e é um ótimo local para tomar um drinque com vista para os super iates no porto – experimente o Bonito, um restaurante descolado, logo ali na frente.

Outra opção é fazer um circuito de barco, mas cuidado para não se distrair com as lojas de grife que parecem mais uma mini versão da Bond Street, em Londres e perder o horário.

Já a bordo de um catamarã muito elegante, partimos navegando pela ilha, observando tartarugas e peixes em águas cristalinas ao longo do caminho. O almoço foi servido no convés pela equipe do hotel, regado a vinho rosé gelado.

A essa altura da viagem, eu já estava completamente apaixonada por St Barths e Cheval Blanc, mas confesso que a minha experiência no SPA cimentou a ilha no meu coração.

Uma massagem indiana, banho romano e chás terapêuticos fizeram dessa uma das melhores experiências da vida!  

Cheval Blanc, fiquei ainda mais fã… São Bartolomeu, je t’aime!

 

0 comment