Gastronomia

French toast: a clássica torrada francesa

Foi num domingo preguiçoso que deu vontade de comer a famosa french toast ou torrada francesa ou, como chamamos por aqui, rabanada.

Não costumo chamar rabanadas de french toast porque aqui no Brasil fazemos rabanadas de outra maneira. Claro que os sabores são muito parecidos, mas, pra mim, não é exatamente a mesma coisa.

A French toast é mais despretenciosa… você faz em no máximo 10 minutos, pode colocar várias coberturas e serve quentinha no café da manhã ou lanche da tarde.

Existem muitas histórias sobre a origem da french toast.

Uma delas diz que foi criada pela necessidade de reaproveitar o pão (dormido), já que sempre foi considerado um alimento sagrado. Sua origem se remete a Portugal, mas encontramos variações da torrada no mundo todo.

As mais famosas são: o “Eggy bread” na Inglaterra, a “French toast” nos EUA, que, apesar de ser um prato típico da França, foram os Estados Unidos que divulgaram essa delícia para o mundo inteiro, e o “Pain Perdu” (pão perdido) na França.

Isso mostra que a influência francesa na rabanada/torrada é muito mais forte do que a portuguesa.

E para os loucos por french toast, aqui vai uma receitinha rápida e deliciosa para matar a vontade dessa torrada tão famosa.

Você vai precisar de:

4 a 6 fatias de pão (de forma, brioche ou de sua preferência) ou a quantidade necessária só para você! 

2 ovos

1 colher (chá) de extrato de baunilha (opcional)

2 colheres (chá) de canela

2 colheres (sopa) de açúcar

1 pitada de sal

3/4 de xícara (chá) de leite

1 fio de óleo

1 colher (sopa) de manteiga

Modo de preparo

Em uma tigela não muito funda, coloque os ovos e o açúcar. Bata com ajuda de um fouet até o açúcar dissolver completamente.

Acrescente a baunilha, a canela e o sal e bata durante 1 minuto para os ingredientes se misturarem bem.

Por último, acrescente o leite e bata até que ele tenha sido completamente incorporado.

Leve uma frigideira ao fogo médio e aqueça o óleo com a manteiga.

A manteiga serve para dar o sabor à french toast e o óleo impede que a manteiga queime.

Quando a manteiga estiver levemente dourada, molhe as fatias de pão na mistura e coloque na frigideira. Não deixe muito tempo na mistura para a french toast não ficar úmida e mole.

Depois que french toast estiver na frigideira, não mexa. Deixe dourar por cerca de 1 a 2 minutos e então vire com uma espátula. Deixe mais 1 minuto para dourar o outro lado.

Repita o processo com todas as fatias de pão.

Apesar da french toast ser deliciosa mesmo pura, existem diversos acompanhamentos para ela. 

Entre os mais tradicionais, você pode usar mel e as geleias, frutas, cremes, doces e até sorvete.

Aproveitem e voltem pra dizer se deu certo!

0 comment

5 restaurantes em Notting Hill – Londres

Quem segue o blog sabe que, assim que eu fecho uma viagem, já começo a pesquisar sobre shows, cafés e restaurantes da cidade que vou visitar.

Não é novidade também que este blog fala muito sobre comida, cafés e sobremesas. :)

Em Notting Hill não seria diferente.

Além de toda diversidade de uma cidade como Londres, os restaurantes desse bairro específico são realmente muito bons, para todos os gostos e bolsos!

Sim, eu sei que Notting Hill está totalmente relacionado ao Carnaval e à possibilidade de conhecer e se apaixonar por Julia Roberts em uma certa livraria!

Mas apesar disso, quero dizer que Notting também pode ser perfeito para um típico café da manhã londrino, um almoço entre amigos ou um jantar a dois.

Aqui temos 5 restaurantes imperdíveis por lá:

1) Luna Rossa

Esse é o lugar para os s apaixonados por comida italiana. Pratos fartos e deliciosos, com destaque para o melhor cannoli da vida!


2) Granger & Co

O melhor café da manhã! Esse vocês precisam conhecer.

O lugar é lindo, e a comida é muito especial. Tem tudo que a gente ama no café da manhã: panquecas, ovos, bacon, pães, frutas, docinhos e a mistura de sabor é incrível.

Vale a pena ir cedo e fazer um brunch até a hora do almoço!

3) Ledbury

Esse já foi eleito o melhor restaurante de Notting Hill. Perfeito para jantar a dois, o restaurante recebeu duas estrelas Michelin.

Embora não seja um restaurante barato (o menu custa em torno de 150 libras por pessoa) é uma experiência diferente e saborosa para quem curte pratos mais elaborados.

No almoço o restaurante faz um menu diferente, cobra menos (80 libras), e deixa com a mesma sensação de ter ido jantar.

4) Daylesford W11

Mais um que entra para o hall dos melhores cafés da manhã de Londres!

A diferença aqui é o lugar e a maneira como as refeições são produzidas, todas com itens orgânicos.

Sim, o restaurante é comandado pela premiada Fazenda Orgânica Daylesford, de onde trazem produtos orgânicos para a cidade diariamente.

É um jóia escondida e o café orgânico é o ponto alto para quem gosta de um bom café!

5)  Kalamaras Greek Taverna

O mais despojado de todos!

Um lugar para estar com amigos, apreciar boa comida e bater papo a noite toda.

Esse é o clima do Kalamares: música boa, atmosfera incrível, e pessoas que nos fazem pensar que estamos mesmo numa ilha grega!

E aí? Quem tem mais dicas de restaurantes em Notting Hill?

0 comment

Top 5 cafés em Paris

Uma das coisas que mais gosto de fazer em viagem é descobrir cafés charmosos pelo caminho. 

Além de ser apaixonada pela bebida, eu adoro o clima das cafeterias, o cheiro, ver a movimentação das pessoas no lugar.

Em Paris, as cafeterias tem uma energia tão boa, que descobrir esses lugares é quase uma obrigação pra mim. 

Se você também é louco por cafés, dá uma olhada nessa listinha com algumas opções por lá. 

 

1) Soul Kitchen 

Uma cantina super charmosa no coração da Montmartre!

As 3 chefs que comandam o lugar conseguem transformar o café numa experiência muito agradável. O cardápio é grande, com muitas opções de cafés, pães e bolos. 

 

2) Terres de Café

Esse fica no Marais e a dica aqui (se estiver sozinho) é sentar no balcão, pertinho do barista. Mas vale a pena esperar uma mesa se tiver companhia. 

Eles servem cafés de todos o canto do mundo, entendem muito do assunto e o ambiente é muito descolado. Não deixem de visitar!

 

3) Café Verlet

Se estiver perto do Louvre, o Verlet é a melhor opção por ali.

É um dos cafés mais antigos de Paris e ainda conta com o charme da decoração e atendimento familiar.

Ótima escolha para descansar e degustar bons cafés depois de visitar o museu.

 

4) La Caféothèque Paris

Um dos mais charmosos da lista… a começar pela localização: fica na Ilê Saint-Louis.

Sou suspeita para falar, mas esse é um dos lugares que mais amo em Paris!

E essa cafeteria é uma das mais lindas e interessantes da cidades.

Além de um menu incrível, ainda fazem cursos sobre a profissão de barista, aulas sobre as melhores torras e muitas outras atividades. Se tiver que escolher um, minha sugestão é essa aqui!

 

5) Café des 2 Moulins

Esse é o famoso café da Amélie Poulin!

Fica na Montmartre e continua idêntico ao que vemos no filme. Para quem gosta do filme, a visita é obrigatória! 

Servem bons cafés, mas o cardápio não é tão variado quanto os outros listados acima.  Vale visitar nem que seja pela atmosfera, decoração e energia do lugar. 

 

E vocês? Quais as cafeterias preferidas em Paris?

 

0 comment

Lima: Os melhores restaurantes do melhor destino gastronômico do mundo.


Viajar para o Peru não significa somente Machu Picchu!

A gastronomia da capital peruana tornou Lima conhecidíssima, destino certeiro de quem viaja em busca de experiências gastronômicas!

A culinária da cidade apaixona por combinar cozinhas de 4 continentes em sabores marcantes e variados. Pratos tradicionais e mesclas muito originais renderam a Lima seis premiações consecutivas de melhor destino para turismo gastronômico do mundo pelo World Travel Awards!

Selecionei os 3 melhores ( e mais premiados! ) restaurantes de Lima, visita obrigatória para viajantes em busca do que há de melhor no turismo gastronômico.

 

Astrid & Gastón
Calle Cantuarias, 175, Miraflores
http://www.astridygaston.meitre.com
Com 3 estrelas Michelin, o Astrid y Gastón funciona em um casarão de fachada simples, no bairro de Miraflores. Seu menu de degustação, assinado pelo chefe Gastón Acurio, conta com 11 pratos que incluem, entre outros, ouriços, polvo, o tradicional ceviche e carne vermelha.

Para apreciar o menu de degustação do Astrid & Gastón, reserve para um dos primeiros horários. Com duração média de 3 horas e meia, o viajante que decide jantar as 10 da noite é obrigado a escolher entre as (excelentes) opções à la carte e perde um pouco da experiência. Nesse caso, não deixe de provar o Lomo Salteado Peruano – tiras de mignon com fritas e ovos de codorna estrelados e o exótico Cuy Peruano (que aqui se conhece como porquinho-da-índia) acompanhado por quinoa e abacate.

 


Maido
Calle San Martín, 399, Miraflores
http://www.maido.pe
Eleito em 2017 e 2018 o melhor restaurante da América Latina, o restaurante Maido brinda o viajante com uma cozinha de fusão peruana e japonesa, a chamada cozinha Nikkei.
A reserva deve ser feita com bastante antecedência. Bastante mesmo! Se trata de um dos restaurantes mais concorridos do mundo! Uma vez dentro dele, delicie-se com um dos criativos drinks assinados pelo chef Mitsuharu Tsumura, um mago das texturas e sabores contrastantes.

O menu degustação depende da época. Como explica o Chef Mitsuharu em seu site, “estamos em constante movimento, como também está a cozinha”. No geral, é composto por 13 pratos que já incluíram ceviches marinados em leite de tigre, macarrão de mandioca e entradas servidas sobre rochas vulcânicas.

 

Central Restaurante
Av. Pedro de Osma, 301, Barranco
http://www.centralrestaurante.com.pe
Com diferentes tipo de menu degustação, o Central Restaurante é assinado pelo chef Virgílio Martinez, que tem até um episódio da série Chef’s Table, no Netflix. Vale conferir, é muito interessante!

Todos seus pratos são criados em viagens pelo Peru, onde o Chef Virgílio encontra uma imensa e incomum variedade de ingredientes e mar e terra. Assim, quem sabe você prove pratos elaborados com ingredientes realmente surpreendentes, como certas tinturas utilizadas em tecidos, por exemplo.

Os menus servem entre 10 e 14 pratos, dependendo de sua escolha. São organizados por altitude, e representam o bioma de cada local, seus sabores e influências. O chef tratou de imprimir sua interpretação de cada local ao menu. Uma experiência gastronômica imperdível! Na hora de pagar a conta, o cliente costuma ser convidado a tirar uma foto na cozinha, o que é um gran finale para uma noite incrível.

 

Isolina
Av. de San Martín, 101, Barranco
http://www.isolina.pe
Ir ao Peru e não provar comida raiz também não pode!

Por isso, tenho que indicar o melhor restaurante para encontrá-la! Oferecendo cozinha tradicional peruana, ou comfort food, o restaurante se apresenta como “sabor das tabernas de antigamente”.

E acerta em cheio!
O nome do restaurante é uma homenagem à mãe do Chef José del Castillo, que assina todo o menu. As grandes pedidas são o Pan com Pejerrey, a tortilla de sesose os diferentes tipos de ceviche.

Se você é reticente quanto a certos ingredientes, como miúdos, por exemplo, aqui vai uma dica: não queira saber quais são os ingredientes de todos os pratos! A cozinha tradicional peruana faz uso de alguns aos quais não estamos muito acostumados.

Provar é muito melhor! Tudo tem sabor delicioso e gostinho de comida caseira, como os peruanos cozinham de “toda la vida”.

Animado para uma viagem gastronômica ao Peru?

Entre em contato agora mesmo e peça seu orçamento: https://viajandoadois.com/orcamento

 

 

0 comment

Treize Bakery Paris

 

” No final deste pátio discreto, você encontrará um dos restaurantes mais aconchegante de Paris, onde misturam vegetais franceses frescos e ervas com antigas tradições do sul, para criar uma inebriante comida para todos os momentos do dia. As reservas são essenciais para o brunch de fim de semana. ”

Foi assim que descobri o Treize.

A chef, Kirsten nascida e criada na África do Sul, foi desenraizada e se mudou para a França ainda jovem, onde rapidamente aderiu ao modo de vida francês.
Quando cresceu, se apaixonou pela culinária. Juntou as especiarias do lar, o calor e a hospitalidade do sul-africano (que nunca a deixaram) e trasnformou a comida que oferece.

Seu desejo incessante de viajar contribuiu para uma infinidade de sabores e texturas. Navegando pelo sudeste da Ásia, Caribe e América Central, Kirsten finalmente foi descansar em San Fransisco, onde encontrou um gosto pelo modo de vida californiano, trabalhando entre chefs talentosos como Dominique Crenn e Jonathan Black.

Após seu recente retorno a Paris, uma descoberta foi feita – Treize au Jardin, um Salon de The, que os proprietários Laurel e Kaysa orgulhosamente chamam de lar. É um espaço onde o mundo é filtrado, a vida desacelera, as flores flutuam sobre as mesas de madeira, quadros com afirmações positivas decoram a parede e o calor de Treize envolve você.

Foi decidido em um instante que este era o lugar perfeito para Kirsten e seu amigo e chef Maxime Bertrand fazerem sua primeira aparição colaborativa!

Por isso, sugiro que você passe uma tarde por lá, desfrutando do sabores, cheiros, calor e a excelente comida, ao pé dos Jardins de Luxemburgo, por apenas algumas horinhas.

Tenho certeza que a sua experiência da cidade luz será completamente diferente dessa vez!

Onde?
Treize au Jardin, 5 rue de Medicis, Paris 6.

0 comment