romance

Jamaica

jamaica

Tudo bem, outras ilhas do Caribe são mais ricas. Ou exclusivas. Ou até bonitas. Mas a Jamaica exportou sua cultura para todo o caribe.

Trancinhas nos cabelos (os dreadlocks), reggae, enormes boinas de lã e até o jeito malemolente de andar, nasceu na terceira maior ilha do Mar das Antilhas.

É o que se pode chamar de jamaican-way-of-life. Quem vem em busca desse estilo não se frustrará.

Negril tem 11 quilômetros de praias, com águas mansas como as de uma piscina.

As baías de Long Bay e Orange Bay são ótimas opções para começar a conhecer a ilha. Na hora do almoço, experimente os jerks, petiscos de carnes marinadas. Ou as empanadas patties. Mas cuidado, vem tudo apimentado.

West End é o trecho dos penhascos e piscinas naturais. Fim de tarde, vai juntando gente, para ver o pôr-do-sol e tudo termina no famoso Rick’s Cafe.

riuochorios

Outra dica é tirar um dia para conhecer e beber uma cerveja Red Stripe na praia Doctor Cave’s, em Montego Bay.

É um lugar daqueles em que relutamos a sair. Há quem consiga. Para esses, as dicas são: ir a Rose Hall Great House e ao vilarejo Falmouth, com linda arquitetura georgiana (sim, a Jamaica foi colonizada pelos ingleses).

Se vocês gostam de aventura, um rafting no Rio Martha Brae também é programa divertido!

A praia de Ocho Rios é linda e tem aquele cenário clássico de casais andando de mãos dadas curtindo o clima romântico no ar.

Para quem curte natureza, o legal é escalar, a dois, as pedras da Cachoeira Dunn’s River Falls.

Outros passeios levam a Goldeneye e Firefly. A primeira foi a casa do escritor Ian Fleming, autor da série OO7 e virou um hotel. A praia em frente chama-se Bond… James Bond.

Ritz_Jamaica

 

A Jamaica também tem sua Graceland, mas nesse caso, é a casa onde Bob Marley nasceu, no vilarejo de Nine Miles. Tudo lá gira em torno do músico. Na casa estão todos os discos, objetos, roupas e muitas outras coisas.

O lugar tornou-se ponto de encontro dos rastafáris e seguidores da religião que propõe a volta dos descendentes de escravos à África. Nine Miles fica próximo da capital da Jamaica, Kingston.

Em Kingston, a dica é fazer uma visita a belíssima Devon House, uma mansão do século 19. É tão grande que tem espaço suficiente para restaurantes muito bons, como o Norman’s on the Terrace e o Devonshire.

JAMAICA_PORT

O lugar mais elegante da Jamaica é Port Antonio. Quando era menos badalado, foi frequentado por astros e magnatas de Hollywood. Um deles foi visitar a Lagoa Azul — um encanto! — e inspirou-se para produzir o filme do mesmo nome.

Os resorts na Jamaica são tão auto-suficientes que se você quiser casar por lá, basta pedir: “Queremos nos casar”. A cerimônia será celebrada nas areias com direito a espumante da melhor qualidade, frutos do mar e muita pimenta.

Costumo recomendar aos casais que querem ir a Jamaica, o Sandals Royal Caribbean Resort & Private Island em Montego Bay. Além de lindo e super luxuoso o lugar tem serviço all inclusive, e os quartos para lua de mel tem piscina particular. O hotel trabalha com Butler Service, um serviço disponível apenas para o nível mais alto das suítes, onde todas as suas vontades são antecipadas e atendidas pelo seu próprio mordomo pessoal. Tudo muito chique!

royalcaribbean

 

O que você deve saber:

• A maioria dos resorts all inclusive da Jamaica não cobram gorjetas, nem aquelas taxas de impostos.

• Pergunte sempre antes de fotografar um rastafári, nem todos gostam de aparecer.

• Os resorts oferecem excursões para as principais atrações. Mas, se quiser ir um pouco mais longe, alugue um carro, lembrando que a mão é inglesa. O transporte público na ilha é precário, não arrisque!

• Toda grande cidade tem uma feira. Em Ocho Rios você encontrará uma réplica do Taj Mahal, trata-se de um shopping dutyfree.

• Importante: vários passeios são oferecidos com saídas de mais de uma localidade. Normalmente os passeios de Negril e Montego Bay são os mesmos, assim como os de Montego Bay e Ocho Rios, cuidado para não repetir os mesmo passeios.

Os melhores passeios na Jamaica

Bamboo River Rafting – não deixe de fazer este rafting em canoa de bamboo pelo rio Martha Brae.

Rose Hall Great House – viva a experiência da época colonial britânica visitando esta construção de 300 anos.

Dolphin Cove – parque aquático para nadar com golfinhos e tubarões

Dunn´r River Safari – tour em 4×4, por lindas paisagens que termina na famosa cachoeira.

Bob Marley Jeep Tour – passa por lugares que marcaram a vida do cantor, inclusive Nine Miles e seu mausoléu Bobsled Jamaica, possui um percurso de 1.000m de descida em trenós, de alta tecnologia, em alta velocidade na floresta. Imperdível!

Pier One – A mais animada festa na sexta-feira à noite! Na Howard Cooke Blvd.

Margaritaville Ocho Rios – complexo de entretenimento durante o dia com restaurante (cozinha jamaicana) e a noite um dos bares mais animados.

 

Anote

Aeroporto: Aeroporto internacional de Sangster, em Montego Bay e Aeroporto Norman Manley, em Kingston

Capital: Kingston

Moeda: Dólar jamaicano (US$ 1 equivale a 89,68 dólares jamaicanos)

Idioma: Inglês

Visto: Não é necessário

Vacinas: Febre amarela

Fuso horário: 02 horas a menos que Brasília

Melhor época para visitar: Temperatura média de 28ºC, mas de agosto a novembro existe o risco de furacões.

 

Onde ficar

Gran Bahia Principe Jamaica  http://www.bahia-principe.com/en/hotels/runaway/resort-jamaica/

Iberostar Grand Hotel Rose Hall  http://www.iberostargrandhotel.com/

Riu Montego Bay  http://www.riu.com/pt/home.jsp

Secrets St. James  http://www.secretsresorts.com/st-james-montego-bay

Sandals  http://www.sandals.com/destinations/jamaica.cfm

 

Fonte: Viajando a Dois, Drift, Nascimento, Adv.

Foto Divulgação

28 Comments

St. Barths

O nome é uma abreviação. Oficialmente, St. Barth’s chama-se Saint-Barthélemy.

A ilha também é pequena, são 32 praias fechadas, cercando uma ilha árida. Mas, nesse lugar — francês até a última gota de perfume —, cabe todo o requinte do planeta.

Basta chegar ao porto de Gustavia (a única cidade de St. Barth´s) e observar iates de cinco andares. A ilha não ostenta palacetes, dizem os nativos que seria um crime contra a elegância.

Já tínhamos escutado falar que St. Barth’s ou ainda St. Barts não atrai só magnatas com casas de veraneio. Hoje, também tem hotéis pequenos e exclusivos, como o nome e o destino da ilha. Para muitos, tornou-se a ilha mais exclusiva do Caribe.

O ponto ideal para admirar a enseada do porto chama-se Carl Gustaf. Este também é o nome do hotel erguido numa encosta, na altura exata para ver o pôr-do-sol no terraço.

Ao ar livre, no próprio terraço funciona um piano-bar. Se puderem, jantem no restaurante do hotel. A culinária é o fino do fino, pratos divinos e serviço exclusivo. Caso sua conta corrente seja ainda mais polpuda, hospede-se em um dos 12 bangalôs.

Todos têm piscina privativa na encosta, com vista para um conto de fadas. Os casamentos a tardinha são tão românticos que até quem já casou numa praia, fica com vontade de um revival. É lindo!

Se vocês são o tipo de casal que se interessa por culinária, estão no lugar certo. A cozinha é francesa. Longe de serem pratos servidos com porções pequenas, aqui é tudo muito bem servido e com requinte. E ninguém chega a reclamar desse fato, claro.

Mas a culinária local não se resume a foie gras, coq au vin e demais clássicos.

Minha dica é entrar no MAYA’S ou se acomodar no terraço à beira-mar do restaurante. É imperdível. A ilha também apresenta a cozinha asiática no Eddy’s e thai-japonesa no Baz.

Come-se bem em St. Barts. Muitíssimo bem.

Quem está a procura de sossego e bom serviço, optou pelo lugar certo.

Os hotéis estão muito bem localizados e contam com serviço exclusivo para casais em lua de mel. A maioria fica na Baie Saint-Jean.

São duas praias divididas por um acidente geográfico de nome emblemático: a Pedra do Eden.

Ali brilham as areias mais visitadas da ilha, sem ofender o sossego. Lá tem restaurantes e barzinhos na medida exata — como quase tudo em St. Barts. Estão a passos da sua comodidade, mas primam pela discrição. E sem música alta, évidemment.

Das 32 praias de St. Barts, apenas uma não tem acesso fácil. Quanto às outras, basta estacionar o carro.

E obviamente a praia que exige maior esforço para ser aproveitada também é considerada a mais bonita. A praia é a Colombier.

Tem areias imaculadas, rochas enormes e mar transparente. Pegue uma das diversas trilhas de 30 minutos que levam a esse lugar espetacular. Vale a visita. Mas para quem prefere a comodidade, barcos zarpam diretamente para Colombier, a partir do porto de Gustavia.

Há praias para aproveitar o sol em pontos mais isolados. Tanto ao sul quanto no norte. Ao sul, estão Lorient, Marigot e Grand Cul de Sac. Ao norte Grand Saline e Gouverneur. Para chegar a Gouverneur, siga em direção a Lurin. A estrada não é lá essas coisas, mas a praia compensa – com palmeiras e a visão das ilhas mais próximas.

Uma lenda conta que um pirata do século 17, Montbars, o Exterminador, escondeu um tesouro, não encontrado até hoje.

Dicas:

Alugar um carro não custa uma fortuna e é imprescindível para conhecer a ilha. A moda entre os turistas mais descolados é alugar um mini-cooper.

Se quiser economizar nas refeições, basta ir a La Rôtisserie ou ao Maya’s to go. As lojas vendem queijos, vinhos, patês. Ninguém achará estranho se você fizer um piquenique. Muitos casais fazem disso uma comemoração.

O idioma francês predomina, mas nos hotéis, restaurantes e lojas, o inglês é falado pelos ilhéus.

GUIA ESPERTO

Como chegar

A forma mais rápida é via St. Maarten (está a 10 min. de voo), sendo essencial dormir na lha uma noite na ida e outra na volta. É necessário o visto americano, devido à conexão nos Estados Unidos. Também existem Ferrys que saem dos portos de St. Maarten (Oyster Pond Port) e St. Martin (Marigot Port) com tempo de percurso de 1h 30m.

Onde Comer

MAYA’S, Public, Tel: 590 590 277-573 – http://www.st-barths.com/mayas

Eddy’s, Rue Samuel Fahlberg, em Gustavia, Tel: 590 590 275-417

Baz, Porto de Gustavia, Tel: 590 590 297-409 – http://www.st-barths.com/baz/

L’Isola, Rue du Roi Oscar II – http://www.lisolastbarth.com

Restaurante do Hotel Le Sereno, Cul de Sac http://www.lesereno.com

Do Brazil, Shell Beach, Gustavia http://www.dobrazil.com

La Rôtisserie (para o pic-nic na praia), Praia de St. Jean

Maya’s to go, St. Jean – http://www.st-barths.com/mayas-to-go

Comprar

As marcas famosas estão na Carré d’Or, em Gustavia e na Villa Créole, em St. Jean.

Para curtir a noite

Yacht Club

Eden Rock    http://www.edenrock.com

Nikki Beach     http://www.nikkibeach.com/stbarths

Le Ti St-Barth

Onde ficar

Le Village St. Jean (não é pé na areia), Colline de St. Jean    http://www.villagestjeanhotel.com

Eden Rock Hotel     http://www.edenrockhotel.com

Hotel Guanahani & Spa      http://www.leguanahani.com

Anote

Aeroporto: Aeroporto Gustaf III

Capital: Gustavia

Moeda: Euro, mas o dólar também é aceito

Idioma: Francês e o inglês também é falado fluentemente

Visto: Sim, o visto americano devido à conexão nos Estados Unidos

Vacinas: Febre amarela

Eletricidade: 220V

Fuso horário: 01 hora a menos que Brasília

Melhor época para visitar: Todo o ano. De setembro a maio a média é de 24 ºC e de junho a agosto a média é de 28ºC, lembrando que em setembro e outubro existe o risco de furacões.

3 Comments

Bahamas

Tal como acontece em Las Vegas, é muito fácil se casar nas Bahamas.

A rigor, basta o passaporte e cerca de US$ 150. O padre e a igreja são ecumênicos. O astral é altamente propenso ao romance. Já chegamos lá apaixonados e ficamos mais ainda ao conhecer algumas das 32 ilhas habitadas.

Apenas duas ilhas reúnem a maioria dos visitantes: New Providence (Nassau) e Grand Bahama.

O turismo e os bancos sigilosos garantem a economia de um lugar ótimo para mergulhar, nadar, velejar, curtir e namorar. E até casar.

Claro que as praias são indispensáveis, mas vale muito fazer o tour que começa na Christ Church Cathedral (interior espetacular e vitrais idem), passar pelos prédios cor de rosa da Parliament Square, avançar pela antiga cadeia (hoje, biblioteca) e terminar na residência do governador-geral.

A essência caribenha e inglesa ainda se mantém apegada aos hábitos britânicos.

Duas pontes, por exemplo, unem Nassau a Paradise Island. Em Nassau, é interessante ver os coloridos mercados da Bay Street, as lojas duty free e o penteado das mulheres.

Os cruzeiro costumam ancorar em Freeport, em Grand Bahama, em virtude não só das praias mas, também, do International Bazaar. International Bazaar é um shopping gigantesco, temático, dividido em seções com produtos de diferentes partes do mundo e com preço bastante convidativo. Outra atração é caminhar pelas largas avenidas e sair em Port Lacaya.

Tem de tudo lá: hotéis extraordinários, cassinos e, o melhor, bares pertinho das marinas e do charmoso iate clube. O lindo canal interno que separa a região da ilha também faz de Freeport um lugar que vale constar no roteiro.

No Monte Alvernia, o ponto mais alto de Cat Island, existe um mosteiro todo em pedra. Cat Island é, ainda, o lugar onde os nativos praticam o Obeah, um ritual de magia. Até hoje muitos casais americanos procuram o lugar para “absorver” um pouco da magia local.

Little Bahamas Banks é o ponto certo para quem procura águas rasas, com uma visibilidade absurda e mar tranqüilo. Também é lugar de diversão. Basta pegar um barco e seguir rumo a região dos golfinhos.

É quase impossível determinar o número desses cetáceos, são muito, nadam livremente e não se assustam com nada. Em alguns dias, a colônia é ainda maior. Seja como for, sempre haverá golfinhos amistosos. Dá para nadar ao lado deles, interagir, e brincar.

Andros – a maior ilha das Bahamas é desabitada. Mas isso não quer dizer que você não deve se hospedar por lá. Meus amigos mergulhadores não querem outra vida. Fica lá o mais antigo resort de mergulho do arquipélago, o Small Hope Bay Lodge. É lá que ficam as mais extensas barreiras de corais do mundo e os 50 “buracos azuis”. Indispensável, mesmo para quem não pratica mergulho com cilindros. Se você adora fazer snorkeling, pescar, ou apenas admirar uma linda paisagem, não deixe de visitar.

Outra dica imperdível é se hospedar ou visitar o Hotel Atlantis. Muito consideram a Disneylândia aquática! Sim, o lugar é demais. Um hotel enorme, com milhares atrações aquáticas num clima de muito astral. Vale apena ver os vídeos com as atividades. http://www.atlantis.com/

Curiosidades:

As estatísticas apontam que Bahamas têm mais de 310 dias de sol ao ano!

Todos os grandes hotéis oferecem saídas para mergulho. A mais radical delas é promovida pela Stuart Cove. Você desce a 15 metros de profundidade numa espécie de bike aquática onde sua cabeça fica coberta e seca (claro!), é bem parecido com uma bolha. A “bolha” ou cúpula, é grande o suficiente para a sua cabeça e até suas mãos. Isso também significa que você respira normalmente sem a necessidade do uso de tubos de snorkel ou reguladores, como você faria se estivesse mergulhando. Lá embaixo você vai vislumbrar recifes de coral, peixes coloridos, e sim, diversos tubarões. Eles são alimentados na nossa frente por um funcionário da Stuart. Mas o mergulho é seguro — e vale para contar aos netos um dia.

Para saber se uma loja é duty free, procure pelo selo DFS. Você consegue descontos de 25% a 50% em relação aos preços nos EUA. Perfumes, cristais, roupa de couro, jóias, roupas de cama, mesa e banho, relógios, equipamentos fotográficos, porcelana, etc, são itens isentos de impostos.

Os frutos do mar são a base da dieta bahamense. O conc é um tipo grande de molusco oceânico que possui carne branca, firme, desfiada. Uma delícia!

A “Festa do Caranguejo” acontece nas noites de sexta no The Churchill Garden Bar, ao lado do International Bazaar. Começa às 18h30, e é bom chegar cedo para não perder nada.

COMO CHEGAR

Não há voo direto. As companhias aéreas com melhores conexões são: Delta Airlines e American Airlines, via Estados Unidos, lembrando da necessidade do visto americano.

NASSAU

Visitar

Escadaria de Rainha, Avenida Elizabeth na altura da Shirley Street. Visita obrigatória em Nassau.

Mergulhar

Stuart Cove’s – http://www.stuartcove.com

Compras

Bahama Craft Centre (Artesanatos), Paradise Island, em frente à Hurricane Hole Plaza

Festival Place (Artesanatos), Prince George Wharf (cais), Bay Street, Nassau.

GRAND BAHAMA

Visitar

Parque Nacional Lucaio, possui um dos maiores sistemas de cavernas calcárias, submarinas do mundo, mangues e uma praia magnífica.

Trilha Heritage (8 km), uma das principais trilhas da ilha, de trajeto fácil, visitando as ruínas do “The Hermitage”.

Compras

International Bazaar

Fragrance of The Bahamas, Freeport http://www.perfumefactory.com

Opções de hospedagem para sua viagem a dois:

British Colonial Hilton Nassau

Paradise Island Harbour Resort

Sandals Royal Bahamian Spa Resort & Offshore Island

Wyndham Nassau Resort & Crystal Palace Casino

Anote

Aeroporto: São 3 aeroportos internacionais, mas o principal é o de Nassau/Paradise Island, Grand Bahama e Exuma

Capital: Nassau

Moeda: Dólar bahamense (B$) e equivale ao dólar americano, que também é aceito como moeda

Idioma: Inglês

Visto: Não é necessário, mas o visto americano é indispensável para quem voa via EUA

Vacinas: Febre amarela

Código de telefone: 1 242

Melhor época para visitar: A média anual é de 27 graus, lembrando que de agosto a novembro existe o risco de furacões

4 Comments

Grandes Etapes Françaises

Criada em 1957, a empresa Grandes Etapes Françaises é um grupo hoteleiro familiar, composto por 10 Castelos-Hotéis e Residências de charme, no coração das mais bonitas regiões turísticas francesas.

Todos os estalebecimentos oferecem a mesma qualidade de serviços, preservando um caráter único conferido pelo seu patrimonio arquitetônico, histórico e cultural.

Se destacam pela qualidade de acolhimento e o serviço cuidadoso reservado aos hópedes franceses e estrangeiros.

Na área externa os grandes parques e jardins são lugares de calma e repouso. Alguns também oferecem spas.

Na aérea interna, dispõem de salões para recepção, cerimônias, casamentos e banquetes.

Os quartos, todos personalizados, respeitam o caráter histórico do local e oferecem ao mesmo tempo todo o conforto moderno.

Viajando a Dois destaca agora os 10 Castelos-Hotéis mais encantadores da França:

Chateau D´Esclimont

É no meio de um parque com 60 hectares que você descobre o Castelo de Esclimont, uma verdadeira jóia da arquitetura renascentista.

O antigo palácio da família La Rochefoucauld conta com 53 quartos decorados com toda a pompa dos castelos do século XVI.

É uma paragem romântica a menos de uma hora de Paris, entre Versalhes e Chartres.

Uma opção interessante para passar uma noite romântica em meio a natureza local.

Chateau D´Artigny


No vale do rio Indre, avistamos ao longe as pedras brancas do majestoso Castelo de Artigny.

São vinte e cinco hectares de parque, um elegante jardim à francesa (de formas geométricas e simetria perfeita), mármores e madeiramentos frescos em trompe l´oeil.

O castelo, construído pelo célebre perfumista François Coty, tem 63 quartos, fica a 10 km de Tours e aproximadamente 230km de Paris.

As desgustações de vinho costumam chamar atenção dos hóspedes que apreciam o sabor dos vinhos regionais.

Domaine de Beauvois

Situado a oeste da ciadade de Tours, esse lindo solar dos séculos XVI e XVII encontra-se no meio de um parque arborizado em frente ao lago Briffaut.

Um hotel charmoso com conforto requintado. No verão, você poderá apreciar uma cozinha saborosa servida no terraço ou ao ar livre.

Domaine de Beauvois encanta por ser um castelo-hotel menor, com apenas 32 charmosos quartos, pela sensação de aconchego e clima propício para o romance.

Le Choiseul

Le Choiseul é um conjunto de três lindas residências do século XVIII: a Maison de l’Ermite (a casa do Eremita), em que os quartos tem vista para jardins de estilo italiano, a Maison de Duc (casa do Duque) com recepção, bar e restaurante, e a Maison de l’Apothicaire (casa do Farmacêutico), cujos quartos estão voltados para o Vale do Loire.

São apenas 32 quartos.

É o lugar ideal para quem quer visitar os castelos da região do Loire, desgutar uma cozinha requintada e vinhos renomados.

Le Prieure

Esta exuberante residência dos oferece 21 quartos tradicionais e 15 quartos no estilo campestre em residências no parque.

Os salões e as salas de jantar têm aquela vista linda para o Vale do Loire.

A equipe do castelo é muito dedicada e cuidadosa com os hópedes sempre convidando-os para desfrutar dos salões, casas de jantar, terraços para relaxar e os prazeres da gastronomia.

Le Mas D´artigny & Spa

No alto de uma colina voltada para o mar Mediterrâneo, pertinho de Nice, o castelo fica de frente para as muralhas da vila medieval Saint Paul de Vence.

A enorme propriedade conta com 85 quartos e um Spa maravilhoso.

Um verdadeiro oásis de natureza com as cores e perfumes da Provence.

Chateau De Divonne

A cerca de 15 minutos de Genebra, esta elegante residência oferece uma vista excepcional para os Alpes e o Mont Blanc.

A dois passos do Cassino e do campo de golfe, é uma parada sensacional para repousar e curtir a gastronomia local. Um lugar onde beleza e relaxamento se conjugam perfeitamente.

Chateau de Gilly

No coração da Borgonha, você não resistirá ao charme do Chateau de Gilly, que foi por muito anos a morada dos abades de Cîteaux.

É lindo ver como preservaram a antiga adega com abóbada de ogivas cruzadas e o seu jardim de estilo francês que une conforto, serenidade, tradição e a gastronomia.

Amplas salas de recepção com pedra bruta, mas também a refinada decoração do Século XVII, fazem dessa parada uma ótima oportunidade para viver um pouco da atmosfera de Borgonha.

Chateau D´Isenbourg

O Castelo D`isenbourg é uma elegante construção rodeada por jardins floridos.

De um lado a floresta dos Vosgos e do outro os vilarejos e seus vinhedos.

Está sempre presente nos roteiros gastronômicos e na rota dos vinhos da Alsácia.

Chateau De L´ile

Situado na cidade de Estrasbourg, esse é um dos castelos mais românticos da França.

Sua arquitetura alsaciana é tradicional, com pombais, varandas floridas e terraços junto ao rio.

Ao mesmo tempo, é moderno, conta com climatização, piscina coberta e Spa.

Fonte: Françatur; Drift Turismo; http://www.grandesetapes.fr

0 comment

Turks and Caicos

Abriremos o blog com as ilhas Turks and Caicos.

Um lugar paradisíaco, exótico e muito romântico.

Visto por décadas como um lindo point de mergulho, o arquipélago, formado por 40 ilhas, tem muito a oferecer aos casais em lua de mel.

Na ilha principal, Providenciales, fica uma das dez praias mais bonitas do mundo (Grace Bay), segundo a revista americana Condé Nast Traveler.

Em outra, a Grand Turks, está um dos principais museus do Caribe. Há ilhas com isolamento total, como Pine Cay. Todas ótimas para mergulhar, curtir a vida e namorar muito, claro!!

O arquipélago é administrado pelo Reino Unido. Portanto, fala-se inglês. Mas muitos dos 25 mil habitantes (pois é, só isso) se viram no espanhol.

Principalmente, na ilha Providenciales (ou Provo, para os íntimos). Ela reúne o maior aeroporto, os melhores restaurantes, (alguns sensacionais) e o agito.

Para ir a belíssima Malcolm’s Beach — a praia mais deserta de Provo — é preciso alugar um veículo 4 x 4.

Fica ali o romântico resort de bangalôs em estilo asiático, o Amanyara. Lindo!

Ainda em Provo, é óbvio que você vai querer ir a tal praia eleita uma das dez mais belas do planeta pela criteriosa revista Traveler.

Além da cor turquesa do mar, Grace Bay tem areia branca, peixes brilhantes e um pôr-do-sol memorável. O céu vermelho cria uma atmosfera toda especial.

Por ali também fica a marina Turtle Cove.

Grand Turk, embora mais afastada, é onde ficam os cruzeiros.

Se vale a pena ir? Muito, se um de seus objetivos for comprar. Os preços dos free-shops são animadores.

Há também bons hotéis e tem, ainda, Clockburn Town, a capital e centro financeiro. Uma caminhada pela Duke Street e pela Front Street leva àqueles prédios em estilo vitoriano.

Para quem gosta de história, o Museu Nacional de Turks & Caicos é bem interessante!

São muitas ilhas, cada uma com sua característica. North Caicos ainda tem poucos hotéis. Alguns na graciosa Whitby. Já Pine Cay, proporciona isolamento completo.

South Caicos, por sua vez, é a ilha dos amantes da pesca. Embora o arquipélago revele tais diferenças, você sempre verá gente com roupas de mergulho, procurando os melhores pontos.

Turks and Caicos definitivamente entra no hall dos destinos de lua-de-mel românticos.

Portanto é uma opção para os casais que buscam clima quente, boa comida, praia, agito e romance!

 

O que você deve saber:

• O prato local é a carne de caracol. Se você tem ojeriza a ele, não esquente a cabeça. Há restaurantes internacionais de alta gastronomia.

• Mesmo que você não aprecie caracóis, conhecer a maior fazenda onde são criados tem que fazer parte do roteiro. Fica na Leeward Highway, em Providenciales.

• Em 15 minutos, saindo da Marina Leeward, e você estará na Ilha das Iguanas.

• Pra quem gosta de apostas, o jogo é liberado. Em Providenciales, um dos cassinos mais frequentados é o do Allegro Resorts.

• Middle Caicos tem cavernas enormes, onde moraram os índios Taínos. Vale a pena conferir.

 

Como chegar:

Voando Delta Airlines ou American Airlines, via Estados Unidos. Lembrando que é necessário visto americano.

 

Onde Comer:

Restaurante Aqua – Providenciales, Turtle Cove.

Banana Boat – Providenciales, Turtle Cove.

Hemingway – Grace Bay.

Os restaurantes dos hotéis são ótimos e o preço é razoável. Vale conferir.

 

Onde ficar:

The Palms – http://www.regentturksandcaicos.com

Amanyara – http://www.amanresorts.com

Grace Bay Resorts – http://www.gracebayclub.com

Allegro Resort (all inclusive) – http://caribbeancoast.com/nhotels/AllegroTurkCaicos

Club Med Turkoise – http://www.clubmed.com

 

 

Fonte: Drift Turismo; ADVtur.

9 Comments