24/01/2014

passport-france

 

Não importa quantas vezes você já foi ou se nunca esteve lá.

Por tudo que lemos, ouvimos e assistimos por aí, conhecer o país mais charmoso do mundo, passou a ser sonho de consumo.

Quem já morou lá afirma que não há lugar no mundo mais romântico para viver! É bem provável que nunca acabe a quantidade de lugares lindos para conhecer nesse país, uma vez que cada lugar que visitamos parece outro quando voltamos ou conversamos sobre.

Passar 30 dias na França parece pouco tempo diante de tanta beleza, cultura e historia para conhecer.

A lista abaixo foi elaborada pelo site Hostel Bookers, especializado em hostel e hospedagem mais barata para quem quer ou pode ficar muito tempo descobrindo um só país.

Se você esta de malas prontas para conhecer a França, nao deixe de espiar essa listinha! Voilà


1) Gorges du Verdon

Imagine um rio de águas turquesas atravessando um gigante cânion, rodeado de imponentes falésias de calcário que sediam, em seu topo, campos de lavanda com visual cor de púrpura e suaves aromas. Ok, pode parar de sonhar acordado. Tudo isso e mais fazem do Gorges du Verdon, nos Alpes de Haute-Provence (sudeste da França), um dos mais belos parques regionais franceses.

gorges

 

 

2) Monte Saint-Michel

Icônica paisagem da França, a pequena aldeia de Mont-Saint-Michel fica no topo de uma ilha rochosa. É um dos pontos turísticos mais visitados da Franca, especialmente por causa do fantástico mosteiro classificado como Patrimônio Mundial da UNESCO. Para aproveitar melhor o local, é recomendado informar-se sobre as condições das marés: na maré baixa, pode-se caminhar do continente para a ilha, enquanto que, se as águas sobem, o caminho de areia até o Mont-Saint-Michel é coberto rapidamente.

mon-6

 

 

3) Castelos do Vale do Loire

Um banho de cultura e história da França ao longo do Rio Loire. Pelo menos 20 belos, majestosos e fascinantes “châteaux” (castelos ou palácios) merecem uma visita, além de outros tantos menores “escondidos” em estradas paralelas. Maravilhas arquitetônicas, como os castelos de Chambord, Blois, Villandry, Chenonceau e Amboise, estão à disposição dos visitantes no Vale do Loire, reconhecido como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Franca-Vale-do-Loire

 

 

4) Falésias de Étretat

Os belos e misteriosos penhascos que formam as falésias de Étretat, na região da Alta Normandia (norte da França) formam uma das paisagens mais famosas e visitadas do país. Tamanha beleza, aliás, inspirou diversos artistas e escritores no passado – de Monet a Guy de Maupassant, ambos apaixonados pelo Porte d’Aval, o mais famoso dos três penhascos em forma de arco – os outros são Porte d’Amont e o Manneporte. Mesmo a pequena aldeia de Étretat (com cerca de 1.500 moradores) vale uma visita, com seu mercado medieval e as belas mansões e vilas antigas que compõem a inspiradora arquitetura da região.

etretat-normandia-franca

 

 

5) Palácio de Versalhes

O que foi concebido, no século 17, como um modesto pavilhão de caça para Luís XIII, tornou-se um dos mais espetaculares “châteaux” do mundo. A oeste de Paris, o Château de Versailles é parada obrigatória para quem vai à França, graças à toda pompa, luxo e ostentação de seus aposentos. O prédio é espetacular, mas são os excepcionais jardins que ganham destaque especial. Criado por Le Nôtre, contém espaços como o Grand Canal, a Orangerie, o lago da Suíça, a Fonte de Netuno, a fazenda de Maria Antonieta, o Grand Trianon e o Petit Trianon, um mais lindo que o outro, e onde se podem gastar horas e até dias admirando.

versailles_ticket

 

 

6) Cidadela medieval de Carcassonne

A pequena cidade de Carcassonne, a 90km de Toulouse, existe desde o século 1 a.C., então uma cidade romana. Foi transformada em uma fortaleza no século 9 para defender-se contra os espanhóis. Seu espetacular conjunto arquitetônico medieval, cercado por 59 torres e barbacãs, está  inscrito como Patrimônio Mundial da UNESCO. Os destaques são a magnífica Basílica de St. Nazaire (São Nazário) e o Château Comtal (Castelo dos Condes). Foi renovada no século 19, e depois passou a receber visitantes. À noite, os muros da fortaleza iluminam-se e ficam mais belos, dando à cidade um charme único.

Carcassonne-vignes

 

 

7) Ilha de Ré

Na costa oeste da França, uma pequena ilha ligada por uma ponte à cidade de La Rochelle, virou um famoso resort de férias, atraindo celebridades como Johnny Depp e a Princesa Caroline de Mônaco. O lugar é mesmo um charme só, com ruas de pedras, boutiques, restaurantes, belas praias e um porto (La Flotte-en-Ré) repleto de simpáticos cafés e bistrôs. Destaque para Saint-Martin-de-Ré, a aldeia principal da ilha e seu centro administrativo, com seus fortes tombados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

st-martin-de-re-ile-de-re

 

 

8) Reserva Natural de Camargue

Localizado entre a terra e o mar Mediterrâneo, em Bouches du Rhône, no sul do país, o Parque Regional de Camargue é uma região de rara beleza natural. Trata-se de uma zona úmida de importância internacional, com a maior população de flamingos da Europa. Cavalos selvagens e touros negros que passeiam pelos campos também são marca registrada de Camargue. O labirinto de canais, lagoas, dunas e canaviais é um paraíso para os ornitólogos e amantes da natureza em geral, que podem explorar a área a pé, de bicicleta ou a cavalo.

DSC_0698

 

 

9) Vulcões de Auvergne

Bem-vindo à terra dos vulcões adormecidos, local dominado por montanhas e planaltos, Auvergne (ou Auvérnia), bem no centro da França, é daquelas regiões que desfrutam de uma paisagem única. Lá está o Parque Natural Regional dos Vulcões de Auvergne, o maior do gênero na Europa. O parque é lar de quatro maciços vulcânicos. Os vulcões mais jovens da região (cerca de 8.000 anos) formam a famosa Chaîne des Puys – destaque para o impressionante Puy de Dome. Tem ainda o parque temático Vulcania, que conta tudo sobre os vulcões e outros fenômenos naturais da Terra.

72cab7315b_3

 

 

10) Marais Poitevin

O apelido já diz tudo: a “Veneza verde”. São muitos de canais de água verde, numa área de pântano, espalhados pelas regiões de Pays de la Loire e Poitou-Charentes. A cor verde é característica dos vegetais de álamos, salgueiros e caniços que dão ao Marais Poitevin uma cara única, aliada às vastas fauna e flora locais. É um verdadeiro refúgio para relaxar enquanto se passeia de barco pelos belos canais – há diversos piers para aluguel das pequenas embarcações, conduzidas pelos “gondoleiros”.

Le paradis, marais poitevin

 

 

11) Porto de Honfleur

A pequena cidade portuária de Calvados, na Normandia, tem charme próprio e atrações variadas – a bela Igreja de Sainte-Catherine, com sua arquitetura peculiar em madeira; os museus e a forte expressão artística, com sua escola de arte tendo contribuído para o surgimento do movimento impressionista (nomes como Monet, Courbet e Boudin passaram por lá), etc.. Mas é seu porto que atrai mais visitantes: o “Le Vieux Bassin”, lembra Amsterdam, com suas casas estreitas e coloridas e telhados de ardósia, e é um convite ao romantismo. Um jantar no terraço de um bistrô desfrutando os tradicionais mexilhões da região ficará pra sempre na memória!

Porto_di_Honfleur

 

 

12) Paris e seus monumentos

Como deixar a capital de fora da lista? Ímpossível. Paris respira arte, cultura, história, arquitetura, tradição, romance e beleza. Milhares de monumentos fazem a festa de qualquer visitante: do Museu do Louvre – uma antiga residência real, com sua pirâmide de vidro no pátio – às simbólicas Catedral de Notre-Dame e a Sacré-Coeur,  ao sempre imponente Panteão. Se a Torre Eiffel é o símbolo máximo de Paris, é no bairro de Montmartre que um café no fim de tarde terá um gostinho especial. Termine com um passeio noturno pela Pont des Arts, e irá entender porque Paris é uma das cidades mais visitadas do mundo!

Torre-Eiffel-Autumn-900x1600

 

 


23/08/2013

il pellicano7

 

Dica de restaurante na Toscana

Se você está de mala pronta para curtir o verão na Toscana, vale a pena levar essa dica.

O restaurante fica no Il Pellicano Resort, um hotel lindo, exclusivo e um pouco mais isolado que os outros. É um hotel 5*, com serviços personalizados e uma equipe de primeira.

A Travel & Leisure e Conde Nast frequentemente citam o restaurante e o hotel como um dos melhores do mundo.

 

il_pellicano

 

Como não podia deixar de ser, o restaurante oferece culinária mediterrânea. Ingredientes frescos, carnes finas, frutas e legumes orgânicos. A carta de vinhos é ótima.

Todos os dias eles apresentam um tipo de azeite extra virgem diferente. Os azeites são dos produtores da região, que fazem questão de dar todas as explicações de como foi feita a colheita, sobre o processo e claro, o resultado final.

O Chef Antonio Guida está constantemente desenvolvendo novos pratos e combinações diferentes para saciar os mais exigentes.

 

ilpelicano8

 

Em abril e outubro, o hotel oferece cursos de culinária, onde os hóspedes aprendem os segredos da culinária mediterrânea!

Durante o dia também é servido ali o lendário brunch do Il Pellicano. Maravilhoso!

 

Il_Pellicano2

 

Mas se tiver que escolher apenas uma refeição no local, sugerimos o jantar. Reserve uma mesa à luz de velas no terraço e prepare-se para uma noite inesquecível!

 


12/07/2013

 

sanandres5

 

Um mar com 7 tons de azul. Sim, a Colômbia tem Caribe. E que Caribe.

San Andres fica a 700 quilômetros da costa e consegue reunir tudo que as outras ilhas mais badaladas da região possuem.

Praias lindas, de águas cristalinas e sem ondas, areia branca e alguns coqueiros estrategicamente posicionados. Para quem gosta de mergulho, os recifes de coral estão ali a disposição. E ainda conta com uma vida noturna pra lá de agitada, se você gostar de reggae!

Tudo aqui é mais relax e informal, embora também encontre ótimos hotéis, inclusive redes com sistema all-inclusive. Os melhores hotéis da ilha são os resorts Aquarium e Marazul, da rede Decameron.

 

decameron3 BC

 

O Aquarium fica mais no centro, é indicado para famílias ou grupos de amigos. O Marazul é mais afastado, indicado para casais em lua de mel ou para quem curte um pouco mais de paz e isolamento.

Os habitantes de San Andres são muito hospitaleiros, muitos são descendentes de ingleses e jamaicanos, que conversam numa curiosa mistura de espanhol e inglês. Mas não se preocupem, todos entendem inglês.

A ilha fica mais próxima da Nicarágua e da Costa Rica do que da Colômbia continental e entre elas se estende a terceira maior barreira de corais do mundo!

Isso explica grande variedade de tons de azul e verde que se vê no mar. Os bancos de areia sobre os corais, chamados de cayos, são uma ótima alternativa para ver essa mistura de cores de perto – e com exclusividade de uma praia quase deserta. Um dos passeios mais legais é ir de lancha até os cayos e almoçar a bordo.

 

hoyosoplador

 

Outra grande atração ali é o Hoyo Soplador, um sistema de túneis nas pedras que provoca um efeito de gêiser natural ao receber a água do mar.

 

Não deixe de visitar

Cayo Bolívar

Para quem está a procura de paz e tranquilidade, esta pequena ilha há 1h30m de barco de San Andrés é o destino certo, lá não tem nada, nem restaurantes, nem quiosques, muito menos moradores, apenas o mar e a areia branca, para passar o dia, literalmente, no puro ócio.

La Loma

Fica na parte mais alta da ilha de San Andrés, um bairro pequeno e charmoso. Para quem aprecia a natureza há muitas atividades, como trilhas e cavalgadas. Lá está situada a primeira igreja da ilha, a Iglesia San Bautista, com um mirante maravilhoso.

La Piscinita

Que tal alimentar peixes coloridos enquanto pratica snorkeling? Logo na entrada, o turista recebe um pedaço de pão para os peixinhos. Além disso, tem um bar onde são oferecidos diversos coquetéis típicos da região. Avenida Circunvalar (sudoeste da ilha de San Andrés).

Hoyo Soplador

O orgulho de quem vive na ilha de San Andrés. Lá tem uma fonte termal que é produzida graças à pressão que as ondas do mar fazem nas rochas, o que dá um efeito de sopro quando a água pode atingir até 20 metros de altura.

Parque Regional Johnny Cay

Aqui você poderá ver diversos tipos de animais, como iguanas, tartarugas, lagartixas azuis e aves. Ao todo são 45 mil m², com bares e restaurantes que tocam reggae e servem a típica culinária caribenha!

Playa de San Luis

A mais famosa da ilha de San Andrés. Fica do lado leste em uma área repleta de casas com arquitetura típica caribenha.

Rose Cay (Acuario) y Haynes Cay

Fica a dez minutos de barco de San Andrés, é uma conjunto com duas ilhotas conhecida como “Isla del Amor”. Legal para praticar snorkeling, ou apenas admirar a mistura de cores do mar caribenho. Para ir de Rose Cay até Haynes Cay, é só caminhar pela água, que não passa do joelho.

 

sanandres4

 

ONDE FICAR:

Decameron Aquarium http://www.decameron.co

Decameron Los Delfines http://www.decameron.co

Royal Decameron Marazul http://www.decameron.co

Sunrise Hotel http://www.ghlhoteles.com

 

COMO CHEGAR

Há voos diretos para Bogotá com a Tam e Avianca. Com a Avianca, é possível voar de Bogotá a Cartagena ou diretamente a San Andrés. A Lan e a Taca via Lima, e a Copa Airlines, via Cidade do Panamá, que chega diretamente a Cartagena e San Andrés também são boas opções.

 

ANOTE

Aeroporto: Aeroporto Internacional El Dorado, em Bogotá (BOG), ou Aeroporto Internacional Rafael Núñez, em Cartagena

Capital: Bogotá

Moeda: Peso colombiano (US$ 1 = 1.943 pesos colombianos)

Idioma: Espanhol

Visto: Não é necessário para brasileiros

Vacinas: Febre Amarela. Não é obrigatória, mas recomendada.

Código de telefone: 57

Eletricidade: 110 v

Fuso horário: 02 horas a menos que Brasília

Melhor época para visitar: Temperaturas agradáveis o ano todo. A temporada seca é ideal para aproveitar melhor os passeios, vai de dezembro a março e também nos meses de julho e agosto. Bogotá, pela altitude, é mais fria, com média anual de 14 graus.

Informações turísticas: www.colombia.travel

 


12/06/2013

Uns dizem que se vestir com certa marca seria ostentação, ou até mesmo uma questão de autoafirmação. Eu discordo completamente, pois às vezes portar um objeto de luxo nada tem a ver com querer ou não passar uma imagem aos outros. E assim, tem pessoas que não abrem mão de seus óculos Prada, do seu perfume Dior, da sua bolsa Hermès… e por aí vai! Eu não abro mão de comemorar os bons momentos da vida com uma bela garrafa de champagne.

Não é um exagero dizer que os produtores de champagne criam uma obra-prima em cada garrafa, repleta daquelas borbulhas que sempre nos surpreendem, fazendo cócegas no céu da boca. Afinal, seus lemas são elegância, exclusividade, refinamento e perfeição em cada taça.

Esses pequenos objetos de luxo tem histórias relacionadas à cultura e a história de fundadores que conseguiram eternizar tendências, modelos, gostos e estilo. Essa bebida tão especial e envolvente é fruto da produção que podemos considerar como algo personalizado, sendo minucioso desde a colheita das uvas, processos de vinificação separados por castas, assemblage (mistura dos vinhos bases de cada uva), amadurecimento e envelhecimento do champagne. Naturalmente, todos esses cuidados tem seu preço!

A escolha destes champagnes foi feita com muito carinho. Ela mostra que produtores ainda desconhecidos no nosso mercado também podem fazer garrafas preciosas dessa bebida fantástica e dedico inteiramente esse primeiro post ao dia dos namorados e aos amantes, como eu, dos borbulhantes! Vamos às dicas…

A importadora Chez France traz alguns rótulos da ilustre desconhecida Maison Vollereaux. O Champagne Vollereaux Rosé de Saignée Brut é um champagne com boa estrutura e ao mesmo tempo delicadíssimo, feito somente com as uvas Pinot Noir, tem aromas de morangos frescos, flores e corpo! É um champagne que acompanha bem um sashimi de salmão, um carpaccio de carne ou um frango cozido com cogumelos fresquinhos, tipo Paris!

 

Vollereaux Rose de Saignee

 

O outro que me chamou atenção foi o safrado Vollereaux Brut Cuvée Tradition Millésime 2005, aromas de pão tostado (acredite), brioches, esses aromas provém do tempo de envelhecimento deste champagne e do tempo em contato com leveduras (60 meses), dando maior complexidade à bebida. Ele tem uma cor dourada e borbulhas pequeninas e persistentes, cremoso na boca, é uma bela escolha para os casais apaixonados brindarem. Uma dica de harmonização com esse champagne de respeito pode ser uma cauda de lagosta grelhada ou um linguado cozido ao molho de champagne e ervas.

Esses dois champagnes você encontra no site da Chez France (www.chezfrance.com.br) e ambos abaixo de R$ 200,00. Um belo achado para sua adega!

 

Vollereaux Millesime Brut 2005

 

O próximo champagne tem sotaque brasileiro! É o Champagne Geisse & Dumont Premier Cru, feito em parceria entre a vinícola Geisse (minha queridinha), do sul do Brasil, da região de Pinto Bandeira com a família Dumont, da região de Chigny-les-Roses, em Champagne, na França.

A produção total deste champagne foi de somente 3000 garrafas, sendo que aqui no Brasil, só encontramos metade dela, comercializada pela própria vinícola Geisse (http://www.vinicolageisse.com.br/), mas com representantes por todo país!

Além de ter grande admiração pelo enólogo e querido Mário Geisse, já tive algumas oportunidades de sentar à mesa, comer e degustar alguns vinhos com ele e a oportunidade de provar seu champagne ocorreu no lançamento dele no Rio de Janeiro, no bucólico restaurante Aprazível, que fica em Santa Teresa, bairro super cult e charmoso da cidade maravilhosa. Entre explicações sobre a produção, reencontros de amigos e muitas risadas, está aí mais um grande champagne; elegante, equilibrado, aromas de cítricos como um limão siciliano, flores brancas e nuances de tostado e na boca muita presença e persistência. Em resumo, é um belo Premier Cru – de cerca dos 200 vilarejos de Champagne, apenas 43 têm direito a utilizar a denominação de Premier Cru, que representa altíssima qualidade e localização dos vinhedos.

 

Champagne Geisse & Dumont Premier Cru

 

Depois desse post deu até vontade de ir a Champagne… se alguém se animar, podemos nos encontrar em agosto, no meio dos vinhedos colhendo as uvas que para as próximas obras primas que chegarão ao mercado brasileiro!

Inspiração na vida de vocês sempre… bisous

Lolô Riccobene

… ama vinhos, boa comida e viagens. Se tudo isso for ainda ao som de um bom jazz e com as melhores companhias, tudo fica perfeito.

 

Este post foi elaborado por Lolô Riccobene.


Página 1 de 212