Jantar a Dois

Estilo é a palavra de ordem!

Uns dizem que se vestir com certa marca seria ostentação, ou até mesmo uma questão de autoafirmação. Eu discordo completamente, pois às vezes portar um objeto de luxo nada tem a ver com querer ou não passar uma imagem aos outros. E assim, tem pessoas que não abrem mão de seus óculos Prada, do seu perfume Dior, da sua bolsa Hermès… e por aí vai! Eu não abro mão de comemorar os bons momentos da vida com uma bela garrafa de champagne.

Não é um exagero dizer que os produtores de champagne criam uma obra-prima em cada garrafa, repleta daquelas borbulhas que sempre nos surpreendem, fazendo cócegas no céu da boca. Afinal, seus lemas são elegância, exclusividade, refinamento e perfeição em cada taça.

Esses pequenos objetos de luxo tem histórias relacionadas à cultura e a história de fundadores que conseguiram eternizar tendências, modelos, gostos e estilo. Essa bebida tão especial e envolvente é fruto da produção que podemos considerar como algo personalizado, sendo minucioso desde a colheita das uvas, processos de vinificação separados por castas, assemblage (mistura dos vinhos bases de cada uva), amadurecimento e envelhecimento do champagne. Naturalmente, todos esses cuidados tem seu preço!

A escolha destes champagnes foi feita com muito carinho. Ela mostra que produtores ainda desconhecidos no nosso mercado também podem fazer garrafas preciosas dessa bebida fantástica e dedico inteiramente esse primeiro post ao dia dos namorados e aos amantes, como eu, dos borbulhantes! Vamos às dicas…

A importadora Chez France traz alguns rótulos da ilustre desconhecida Maison Vollereaux. O Champagne Vollereaux Rosé de Saignée Brut é um champagne com boa estrutura e ao mesmo tempo delicadíssimo, feito somente com as uvas Pinot Noir, tem aromas de morangos frescos, flores e corpo! É um champagne que acompanha bem um sashimi de salmão, um carpaccio de carne ou um frango cozido com cogumelos fresquinhos, tipo Paris!

 

Vollereaux Rose de Saignee

 

O outro que me chamou atenção foi o safrado Vollereaux Brut Cuvée Tradition Millésime 2005, aromas de pão tostado (acredite), brioches, esses aromas provém do tempo de envelhecimento deste champagne e do tempo em contato com leveduras (60 meses), dando maior complexidade à bebida. Ele tem uma cor dourada e borbulhas pequeninas e persistentes, cremoso na boca, é uma bela escolha para os casais apaixonados brindarem. Uma dica de harmonização com esse champagne de respeito pode ser uma cauda de lagosta grelhada ou um linguado cozido ao molho de champagne e ervas.

Esses dois champagnes você encontra no site da Chez France (www.chezfrance.com.br) e ambos abaixo de R$ 200,00. Um belo achado para sua adega!

 

Vollereaux Millesime Brut 2005

 

O próximo champagne tem sotaque brasileiro! É o Champagne Geisse & Dumont Premier Cru, feito em parceria entre a vinícola Geisse (minha queridinha), do sul do Brasil, da região de Pinto Bandeira com a família Dumont, da região de Chigny-les-Roses, em Champagne, na França.

A produção total deste champagne foi de somente 3000 garrafas, sendo que aqui no Brasil, só encontramos metade dela, comercializada pela própria vinícola Geisse (http://www.vinicolageisse.com.br/), mas com representantes por todo país!

Além de ter grande admiração pelo enólogo e querido Mário Geisse, já tive algumas oportunidades de sentar à mesa, comer e degustar alguns vinhos com ele e a oportunidade de provar seu champagne ocorreu no lançamento dele no Rio de Janeiro, no bucólico restaurante Aprazível, que fica em Santa Teresa, bairro super cult e charmoso da cidade maravilhosa. Entre explicações sobre a produção, reencontros de amigos e muitas risadas, está aí mais um grande champagne; elegante, equilibrado, aromas de cítricos como um limão siciliano, flores brancas e nuances de tostado e na boca muita presença e persistência. Em resumo, é um belo Premier Cru – de cerca dos 200 vilarejos de Champagne, apenas 43 têm direito a utilizar a denominação de Premier Cru, que representa altíssima qualidade e localização dos vinhedos.

 

Champagne Geisse & Dumont Premier Cru

 

Depois desse post deu até vontade de ir a Champagne… se alguém se animar, podemos nos encontrar em agosto, no meio dos vinhedos colhendo as uvas que para as próximas obras primas que chegarão ao mercado brasileiro!

Inspiração na vida de vocês sempre… bisous

Lolô Riccobene

… ama vinhos, boa comida e viagens. Se tudo isso for ainda ao som de um bom jazz e com as melhores companhias, tudo fica perfeito.

 

Este post foi elaborado por Lolô Riccobene.

0 comment

Grotta Palazzese Ristorante

Dica boa para quem está na Itália ou planeja ir para lá.

 

grotta4

 

Considerado um dos melhores restaurantes do mundo, o Grotta Palazzese impressiona logo de cara!

Primeiro pelo cenário lindo: está localizado na cidade de Polignano a Mare (na província de Bari, em Puglia), uma cidade medieval encantadora, com ruas estreitas e residências lindas, construídas em penhascos com cavernas naturais!

 

grotta3

 

Só isso já renderia romance o bastante, mas ele vai além. O restaurante fica em uma península a 24 metros acima do nível do mar, onde você pode almoçar ou jantar assistindo as ondas quebrando contra as pedras, bem pertinho de você.

A culinária é de alta qualidade e os pratos elegantemente servidos estão sempre acompanhados por maravilhosos vinhos, o que torna a experiência inesquecível!

E, para completar a noite, que tal se hospedar no hotel de mesmo nome? Sim, ali também fica o charmoso Hotel Grotta Palazzese!

Um hotel boutique equipado com todo o conforto, decoração linda, serviços exclusivos e vistas deslumbrantes.

A sugestão é solicitar os quartos que possuem varanda privativa e desfrutar de uma romântica vista do mar!

 

grotta

 

HOTEL RISTORANTE GROTTA PALAZZESE
Via Narciso, 59 – Polignano a Mare (Bari), Puglia

5 Comments

Rio Restaurant Week

Para os amantes da boa gastronomia, hoje começa o Rio Restaurant Week!

Já imaginou jantar naquele restaurante chiquérrimo ou almoçar no restaurante mais badalado da cidade por um preço super razoável?

 

brigites

 

É esse o objetivo do evento, proporcionar aos cariocas a oportunidade de degustar as criações dos melhores restaurantes da cidade e ainda exercer o seu lado social!

Sim, os restaurantes sugerem aos clientes uma contribuição de R$ 1 a cada refeição. Todo o valor arrecadado será destinado ao Instituto Ayrton Senna.

levin

 

Serão oferecidas duas opções do cardápio para que o cliente escolha a de sua preferência.

No almoço o preço praticado é de R$ 34,90 e no jantar é de R$ 47,90. Incluídos entrada + prato principal + sobremesa.

 

resto

 

O evento está em sua 8ª edição e vai de 20 de maio a 02 de junho.

Imperdível para os comensais!

 

Nossas dicas para jantar a dois no Rio Restaurant Week:

Le Vin Barra

Quadrifoglio – Village Mall

Nam Thai Restaurante Tailandês

Brigites

Sawasdee Bistrô

Oui Oui

Restô

 

Foto Divulgação Rio Restaurant Week

0 comment

Jamaica

jamaica

Tudo bem, outras ilhas do Caribe são mais ricas. Ou exclusivas. Ou até bonitas. Mas a Jamaica exportou sua cultura para todo o caribe.

Trancinhas nos cabelos (os dreadlocks), reggae, enormes boinas de lã e até o jeito malemolente de andar, nasceu na terceira maior ilha do Mar das Antilhas.

É o que se pode chamar de jamaican-way-of-life. Quem vem em busca desse estilo não se frustrará.

Negril tem 11 quilômetros de praias, com águas mansas como as de uma piscina.

As baías de Long Bay e Orange Bay são ótimas opções para começar a conhecer a ilha. Na hora do almoço, experimente os jerks, petiscos de carnes marinadas. Ou as empanadas patties. Mas cuidado, vem tudo apimentado.

West End é o trecho dos penhascos e piscinas naturais. Fim de tarde, vai juntando gente, para ver o pôr-do-sol e tudo termina no famoso Rick’s Cafe.

riuochorios

Outra dica é tirar um dia para conhecer e beber uma cerveja Red Stripe na praia Doctor Cave’s, em Montego Bay.

É um lugar daqueles em que relutamos a sair. Há quem consiga. Para esses, as dicas são: ir a Rose Hall Great House e ao vilarejo Falmouth, com linda arquitetura georgiana (sim, a Jamaica foi colonizada pelos ingleses).

Se vocês gostam de aventura, um rafting no Rio Martha Brae também é programa divertido!

A praia de Ocho Rios é linda e tem aquele cenário clássico de casais andando de mãos dadas curtindo o clima romântico no ar.

Para quem curte natureza, o legal é escalar, a dois, as pedras da Cachoeira Dunn’s River Falls.

Outros passeios levam a Goldeneye e Firefly. A primeira foi a casa do escritor Ian Fleming, autor da série OO7 e virou um hotel. A praia em frente chama-se Bond… James Bond.

Ritz_Jamaica

 

A Jamaica também tem sua Graceland, mas nesse caso, é a casa onde Bob Marley nasceu, no vilarejo de Nine Miles. Tudo lá gira em torno do músico. Na casa estão todos os discos, objetos, roupas e muitas outras coisas.

O lugar tornou-se ponto de encontro dos rastafáris e seguidores da religião que propõe a volta dos descendentes de escravos à África. Nine Miles fica próximo da capital da Jamaica, Kingston.

Em Kingston, a dica é fazer uma visita a belíssima Devon House, uma mansão do século 19. É tão grande que tem espaço suficiente para restaurantes muito bons, como o Norman’s on the Terrace e o Devonshire.

JAMAICA_PORT

O lugar mais elegante da Jamaica é Port Antonio. Quando era menos badalado, foi frequentado por astros e magnatas de Hollywood. Um deles foi visitar a Lagoa Azul — um encanto! — e inspirou-se para produzir o filme do mesmo nome.

Os resorts na Jamaica são tão auto-suficientes que se você quiser casar por lá, basta pedir: “Queremos nos casar”. A cerimônia será celebrada nas areias com direito a espumante da melhor qualidade, frutos do mar e muita pimenta.

Costumo recomendar aos casais que querem ir a Jamaica, o Sandals Royal Caribbean Resort & Private Island em Montego Bay. Além de lindo e super luxuoso o lugar tem serviço all inclusive, e os quartos para lua de mel tem piscina particular. O hotel trabalha com Butler Service, um serviço disponível apenas para o nível mais alto das suítes, onde todas as suas vontades são antecipadas e atendidas pelo seu próprio mordomo pessoal. Tudo muito chique!

royalcaribbean

 

O que você deve saber:

• A maioria dos resorts all inclusive da Jamaica não cobram gorjetas, nem aquelas taxas de impostos.

• Pergunte sempre antes de fotografar um rastafári, nem todos gostam de aparecer.

• Os resorts oferecem excursões para as principais atrações. Mas, se quiser ir um pouco mais longe, alugue um carro, lembrando que a mão é inglesa. O transporte público na ilha é precário, não arrisque!

• Toda grande cidade tem uma feira. Em Ocho Rios você encontrará uma réplica do Taj Mahal, trata-se de um shopping dutyfree.

• Importante: vários passeios são oferecidos com saídas de mais de uma localidade. Normalmente os passeios de Negril e Montego Bay são os mesmos, assim como os de Montego Bay e Ocho Rios, cuidado para não repetir os mesmo passeios.

Os melhores passeios na Jamaica

Bamboo River Rafting – não deixe de fazer este rafting em canoa de bamboo pelo rio Martha Brae.

Rose Hall Great House – viva a experiência da época colonial britânica visitando esta construção de 300 anos.

Dolphin Cove – parque aquático para nadar com golfinhos e tubarões

Dunn´r River Safari – tour em 4×4, por lindas paisagens que termina na famosa cachoeira.

Bob Marley Jeep Tour – passa por lugares que marcaram a vida do cantor, inclusive Nine Miles e seu mausoléu Bobsled Jamaica, possui um percurso de 1.000m de descida em trenós, de alta tecnologia, em alta velocidade na floresta. Imperdível!

Pier One – A mais animada festa na sexta-feira à noite! Na Howard Cooke Blvd.

Margaritaville Ocho Rios – complexo de entretenimento durante o dia com restaurante (cozinha jamaicana) e a noite um dos bares mais animados.

 

Anote

Aeroporto: Aeroporto internacional de Sangster, em Montego Bay e Aeroporto Norman Manley, em Kingston

Capital: Kingston

Moeda: Dólar jamaicano (US$ 1 equivale a 89,68 dólares jamaicanos)

Idioma: Inglês

Visto: Não é necessário

Vacinas: Febre amarela

Fuso horário: 02 horas a menos que Brasília

Melhor época para visitar: Temperatura média de 28ºC, mas de agosto a novembro existe o risco de furacões.

 

Onde ficar

Gran Bahia Principe Jamaica  http://www.bahia-principe.com/en/hotels/runaway/resort-jamaica/

Iberostar Grand Hotel Rose Hall  http://www.iberostargrandhotel.com/

Riu Montego Bay  http://www.riu.com/pt/home.jsp

Secrets St. James  http://www.secretsresorts.com/st-james-montego-bay

Sandals  http://www.sandals.com/destinations/jamaica.cfm

 

Fonte: Viajando a Dois, Drift, Nascimento, Adv.

Foto Divulgação

28 Comments

Bahamas

Tal como acontece em Las Vegas, é muito fácil se casar nas Bahamas.

A rigor, basta o passaporte e cerca de US$ 150. O padre e a igreja são ecumênicos. O astral é altamente propenso ao romance. Já chegamos lá apaixonados e ficamos mais ainda ao conhecer algumas das 32 ilhas habitadas.

Apenas duas ilhas reúnem a maioria dos visitantes: New Providence (Nassau) e Grand Bahama.

O turismo e os bancos sigilosos garantem a economia de um lugar ótimo para mergulhar, nadar, velejar, curtir e namorar. E até casar.

Claro que as praias são indispensáveis, mas vale muito fazer o tour que começa na Christ Church Cathedral (interior espetacular e vitrais idem), passar pelos prédios cor de rosa da Parliament Square, avançar pela antiga cadeia (hoje, biblioteca) e terminar na residência do governador-geral.

A essência caribenha e inglesa ainda se mantém apegada aos hábitos britânicos.

Duas pontes, por exemplo, unem Nassau a Paradise Island. Em Nassau, é interessante ver os coloridos mercados da Bay Street, as lojas duty free e o penteado das mulheres.

Os cruzeiro costumam ancorar em Freeport, em Grand Bahama, em virtude não só das praias mas, também, do International Bazaar. International Bazaar é um shopping gigantesco, temático, dividido em seções com produtos de diferentes partes do mundo e com preço bastante convidativo. Outra atração é caminhar pelas largas avenidas e sair em Port Lacaya.

Tem de tudo lá: hotéis extraordinários, cassinos e, o melhor, bares pertinho das marinas e do charmoso iate clube. O lindo canal interno que separa a região da ilha também faz de Freeport um lugar que vale constar no roteiro.

No Monte Alvernia, o ponto mais alto de Cat Island, existe um mosteiro todo em pedra. Cat Island é, ainda, o lugar onde os nativos praticam o Obeah, um ritual de magia. Até hoje muitos casais americanos procuram o lugar para “absorver” um pouco da magia local.

Little Bahamas Banks é o ponto certo para quem procura águas rasas, com uma visibilidade absurda e mar tranqüilo. Também é lugar de diversão. Basta pegar um barco e seguir rumo a região dos golfinhos.

É quase impossível determinar o número desses cetáceos, são muito, nadam livremente e não se assustam com nada. Em alguns dias, a colônia é ainda maior. Seja como for, sempre haverá golfinhos amistosos. Dá para nadar ao lado deles, interagir, e brincar.

Andros – a maior ilha das Bahamas é desabitada. Mas isso não quer dizer que você não deve se hospedar por lá. Meus amigos mergulhadores não querem outra vida. Fica lá o mais antigo resort de mergulho do arquipélago, o Small Hope Bay Lodge. É lá que ficam as mais extensas barreiras de corais do mundo e os 50 “buracos azuis”. Indispensável, mesmo para quem não pratica mergulho com cilindros. Se você adora fazer snorkeling, pescar, ou apenas admirar uma linda paisagem, não deixe de visitar.

Outra dica imperdível é se hospedar ou visitar o Hotel Atlantis. Muito consideram a Disneylândia aquática! Sim, o lugar é demais. Um hotel enorme, com milhares atrações aquáticas num clima de muito astral. Vale apena ver os vídeos com as atividades. http://www.atlantis.com/

Curiosidades:

As estatísticas apontam que Bahamas têm mais de 310 dias de sol ao ano!

Todos os grandes hotéis oferecem saídas para mergulho. A mais radical delas é promovida pela Stuart Cove. Você desce a 15 metros de profundidade numa espécie de bike aquática onde sua cabeça fica coberta e seca (claro!), é bem parecido com uma bolha. A “bolha” ou cúpula, é grande o suficiente para a sua cabeça e até suas mãos. Isso também significa que você respira normalmente sem a necessidade do uso de tubos de snorkel ou reguladores, como você faria se estivesse mergulhando. Lá embaixo você vai vislumbrar recifes de coral, peixes coloridos, e sim, diversos tubarões. Eles são alimentados na nossa frente por um funcionário da Stuart. Mas o mergulho é seguro — e vale para contar aos netos um dia.

Para saber se uma loja é duty free, procure pelo selo DFS. Você consegue descontos de 25% a 50% em relação aos preços nos EUA. Perfumes, cristais, roupa de couro, jóias, roupas de cama, mesa e banho, relógios, equipamentos fotográficos, porcelana, etc, são itens isentos de impostos.

Os frutos do mar são a base da dieta bahamense. O conc é um tipo grande de molusco oceânico que possui carne branca, firme, desfiada. Uma delícia!

A “Festa do Caranguejo” acontece nas noites de sexta no The Churchill Garden Bar, ao lado do International Bazaar. Começa às 18h30, e é bom chegar cedo para não perder nada.

COMO CHEGAR

Não há voo direto. As companhias aéreas com melhores conexões são: Delta Airlines e American Airlines, via Estados Unidos, lembrando da necessidade do visto americano.

NASSAU

Visitar

Escadaria de Rainha, Avenida Elizabeth na altura da Shirley Street. Visita obrigatória em Nassau.

Mergulhar

Stuart Cove’s – http://www.stuartcove.com

Compras

Bahama Craft Centre (Artesanatos), Paradise Island, em frente à Hurricane Hole Plaza

Festival Place (Artesanatos), Prince George Wharf (cais), Bay Street, Nassau.

GRAND BAHAMA

Visitar

Parque Nacional Lucaio, possui um dos maiores sistemas de cavernas calcárias, submarinas do mundo, mangues e uma praia magnífica.

Trilha Heritage (8 km), uma das principais trilhas da ilha, de trajeto fácil, visitando as ruínas do “The Hermitage”.

Compras

International Bazaar

Fragrance of The Bahamas, Freeport http://www.perfumefactory.com

Opções de hospedagem para sua viagem a dois:

British Colonial Hilton Nassau

Paradise Island Harbour Resort

Sandals Royal Bahamian Spa Resort & Offshore Island

Wyndham Nassau Resort & Crystal Palace Casino

Anote

Aeroporto: São 3 aeroportos internacionais, mas o principal é o de Nassau/Paradise Island, Grand Bahama e Exuma

Capital: Nassau

Moeda: Dólar bahamense (B$) e equivale ao dólar americano, que também é aceito como moeda

Idioma: Inglês

Visto: Não é necessário, mas o visto americano é indispensável para quem voa via EUA

Vacinas: Febre amarela

Código de telefone: 1 242

Melhor época para visitar: A média anual é de 27 graus, lembrando que de agosto a novembro existe o risco de furacões

4 Comments