ilha

7 razões para visitar Santorini

Desde que pisei em Santorini, tive certeza que a ilha é um dos lugares mais bonitos do mundo! E sei que ainda faltam alguns países para conhecer, mas essa ilha certamente estará sempre na lista dos lugares mais incríveis do mundo. 

Cada canto novo parece mais lindo que o anterior e as imagens nunca serão capazes de capturar sua atmosfera hipnotizante.

Se você ainda está pensando se deve colocar Santorini na sua lista de desejos, confira essa lista com 7 motivos para visitar a ilha grega:

 

1. Por causa do pôr do sol em Oia

A menos que você tenha trauma de multidão e prefira um lugar um pouco mais quieto, seu pôr do sol preferido será em Oia. Mas com toda a honestidade, você não pode perder o pôr do sol em Imerovigli.

É uma espécie de mágica que acontece quando o sol se põe, uma sensação absurda de paz e pertencimento. 

 

2. Porque você pode percorrer a ilha toda andando ou de quadriciclo

Existem algumas maneiras de se locomover pela ilha: alugar um carro, quadriciclo, táxi ou ônibus.

No entanto, o táxi pode ficar caro e os ônibus te dão menos flexibilidade. As estradas são, em sua maioria, calçadas feitas com pedras, estreitas e os motoristas gregos são loucos (mas muito talentosos), e o que nos deixa mais confortáveis é alugar um ATV.

Alugar um ATV, também conhecido como quadriciclo, é a melhor e mais popular maneira de se locomover pela ilha, especialmente pelas colinas íngremes e o calor. Além disso, é muito divertido, juro!

Dependendo da época, tamanho e tipo, seu ATV pode custar de 25 a 40 euros por 24 horas. Mais 8 a 10 euros por dia de combustível… preços referentes a um ATV de 200cc.

É uma maneira maravilhosa e divertida de ver a ilha com seus próprios olhos e tempo. Definitivamente é a melhor maneira de conhecer Santorini, apenas certifique-se de ter uma carteira de motorista válida.

 

3. Porque todo jantar pode ser com uma vista deslumbrante

Com vistas deslumbrantes sobre o mar Egeu e caldeira, Santorini vai superar completamente as suas expectativas em relação a  “jantar com vista”.

Se você estiver procurando por restaurantes que combinem vistas maravilhosas com deliciosos pratos, os mais populares são: Ambrosia, 1800, Lauda, ​​em Oia, Archipelagos, o V Lounge, em Fira, e o restaurante Kapari Wine, em Imerovigli.

 

4. Por causa das praias exclusivas

Santorini não é conhecida por suas praias, então não espere a típica areia branca e a vista de águas cristalinas que você geralmente associa à Grécia.

As praias são vulcânicas, com pedras vermelhas ou pretas, seixos, cascalho, e ficam muito quentes nos pés.

No entanto, isso as torna únicas e as fazem merecedores de uma visita. 

Sugiro as praias abaixo para entender como são diferentes, mas tão belas quanto aquelas de areia branca. 

Red-Beach-of-Akrotiri-Santorini

Praia Vermelha: A “famosa” praia de Santorini. Tem pedras vulcânicas pretas e vermelhas em vez de areia e água quente. Certifique-se de usar sapatos fechados, a caminhada pode ficar escorregadia e a areia fica extremamente quente.

Kamari beach

Um resort de praia cosmopolita situado na parte sul de Santorini, ao lado de Perissa, com a enorme pedra chamada Mesa Vouno entre eles. A areia é preta e as águas são profundas e azuis, cheia de atividades (mergulho) disponíveis. Há cafés próximos, bares, restaurantes, lojas e supermercados, e claro,  uma animada vida noturna que o torna um destino ainda mais popular.

Perissa

Perissa / Perivolos: Perissa e Perivolos são praias longas. Perivolos fica no outro extremo da praia de Perissa e é um parte bem tranquila, mais agitada durante o dia do que a noite. Perissa é mais animada, com fácil acesso a todos os bares, restaurantes, cafés etc.

 

5. Porque você precisa pular em Amoudi Bay

Em Ammoudi Bay, desça os degraus e siga as placas que dizem “Ammoudi Bay”.

Depois de chegar à água, vire à esquerda e continue descendo até ver um restaurante de frutos do mar. Continue seguindo o caminho passando pelo restaurante e você encontrará um pequeno penhasco de rocha à sua direita, para o qual você terá que nadar. Há uma escada localizada na parte de trás do penhasco de frente para a cidade.

Você pode pular dos lugares mais baixos ou lá de cima… o importante é ir, porque essa é a cor de água mais incrível de lá. 

 

6. Por causa da vida noturna em Fira

Embora Santorini não seja Mykonos, ainda oferece uma vida noturna super badalada, concentrada principalmente em Fira.

Começamos a noite pelo Franco’s Bar, conhecido por sua música clássica ao pôr do sol. As pessoas que querem ouvir música grega vão ao Club 33.

O Koo Club é provavelmente o clube mais popular de Santorini e toca muitos tipos de música, de pop a grega. O Highlander é o único bar escocês da ilha, mas a música varia do pop e rock ao trance e dance.

Muitos bares e clubes fazem “happy hour” para convidar as pessoas mais cedo, mas durante a alta temporada (de julho a agosto) a diversão só começa depois da meia-noite.

 

7. Porque você pode fazer as compras mais legais da sua vida

Agora chegamos numa parte que muita gente adora, fazer compras.

Santorini tem de tudo: lindas joalherias artesanais, boutiques de roupas, lojas de vinhos, arte local, artesanato e muito mais.

Se você tiver uma chance, eu recomendo ir para Oia após o pôr do sol e caminhar por todos os pequenos mercados e boutiques. A vista e atmosfera já valem a experiência. Há achados mais baratos, como joias, artesanato e roupas, e há boutiques de luxo com jóias mais caras e marcas como Cartier e Chanel.

Como são mais de 40 joalherias, muitas delas em Fira, o lugar recebeu o nome de “Gold Street”.

Essa é outra ótima maneira de passar algumas horas e fechar o dia com um sorvete delicioso!

E aí, ainda tem dúvida de que precisa conhecer Santorini?

 

0 comment

Os 5 novos hotéis da Small Luxury Hotels of the World

Acho que a maioria de vocês já conhece a Small Luxury Hotels of the World, mas para quem ainda não conhece, segue um breve resumo:

A marca SLH representa um portfólio com pequenos hotéis de luxo independentes no mundo.

São mais de 500 opções de hospedagem dentre hotéis boutiques, hotéis design, casas de campo, resorts e até ilhas particulares.

Os hotéis passam por um controle rígido de aprovação e só os melhores são aceitos pela marca. Quem sai ganhando é o hóspede, que recebe qualidade em atendimento e as melhores experiências em serviço.

Esse mês a marca lançou cinco novos hotéis, três hotéis boutique e dois voltados à natureza:

 

Córsega – Le Domaine Misincu

O Le Domaine Misincu é o único hotel boutique de luxo na região de Cabo Corso, a parte mais preservada da ilha de Córsega. A área mistura parques naturais e jardins com o estilo tradicional, oferecendo uma estadia elegante e rústica.

 

Roma (Itália) – Margutta 19

Esse é um hotel boutique romano e fica na “rua dos artistas”, onde Picasso morou. Tem abertura prevista para julho deste ano e oferecerá aos hóspedes um restaurante com receitas tradicionais da família dos proprietários, além de suítes bem decoradas e terraço.

 

São Lourenço do Barrocal (Portugal) – Monsaraz

Uma propriedade familiar de 200 anos mistura o contemporâneo ao vintage, com jardins, laranjal e piscina. O diferencial é que oferecem aos hóspedes um jantar inspirado na fazenda e com sabores clássicos. São 40 quartos, suítes ou casas de campo que dão acesso ao spa da marca austríaca orgânica Susanne Kaufmann.

 

Puerto Vallarta (México) – Casa Velas

Aquele tipo de hotel exclusivo para adultos.  A propriedade fica em meio a flora tropical, com 80 suítes de luxo inspiradas no design mexicano tradicional. Pertinho da praia, a acomodação oferece tratamentos com base na sabedoria antiga e com ingredientes locais. Imperdível!

 

Izu (Japão) – ABBA Resorts Izu

Hotel boutique pequeno, com apenas 30 quartos (cada um, com banho ao ar livre de águas minerais quentes), restaurante com pratos franceses e japoneses e spa, todos no estilo ryokan. Sem deixar o luxo de lado, mistura-se a floresta com um jardim de formações de lava e vegetação própria do local.

 

Difícil escolher o próximo destino de viagem…

 

 

 

0 comment

St. Marteen

A ilha de St. Marteen tem 96 km. Ou duas vezes a Barra da Tijuca.

Pequena? Parece, se você pensar que o espaço foi dividido entre holandeses e franceses, em 1648. Os holandeses ficaram com Saint Marteen (43% do território) e os franceses ganharam Saint Martin (os demais 57%).

Mas quando sabemos que a ilha acolhe três línguas, três moedas, imigrantes de 104 nacionalidades, cassinos, joalherias, restaurantes dos mais diversos tipos e 37 praias ao melhor estilo caribenho, não podemos, jamais, considerá-la pequena. Inclua também, umas das compras mais baratas do planeta. Vista assim, St. Maarten é imensa. Mas pode acreditar: cabe muito bem no seu orçamento!

 

stmaeerten

 

A animação fica na Praia de Maho, na parte holandesa. É onde brilham as luzes do Casino Royale — sim, como o do filme. Funciona desde 1950 e foi o responsável pela abertura de diversos barzinhos por ali. O único aeroporto da ilha e a maior parte da rede hoteleira ficam em Philipsburg.

A língua oficial é o holandês, mas o inglês é de uso corrente. Junto com esses dois idiomas, eles adicionaram o português, espanhol e palavras africanas. Resultado: o papiamento das ilhas de colonização holandesa, assim como em Aruba. Além do papiamento, também utilizam uma moeda rara: o florim das Antilhas Holandesas. Mas não se preocupe, o dólar americano é aceito sem restrições.

 

st maarten samanna

 

Imagine um calçadão ao estilo de Copacabana! Philipsburg tem um, de 2 quilômetros: Great Bay.

Muita gente bonita caminha de lá para cá. Assim como em Copa, mas com biquínis mais recatados! Em Orient Bay, circulam os inimigos número 1 dos fabricantes de maiô: os nudistas. É uma das praias mais famosas de naturismo do Caribe.

Se vocês curtem natureza, então o lugar é Cupecoy. As falésias avermelhadas são inspiradoras. Conforme o sol vai caindo sobre elas, o vermelho ganha outros tons.

 

st maarten9

 

A culinária é especial, a ilha já ganhou o título de Capital Gastronômica do Caribe! E merece, a culinária é mesmo de uma riqueza ímpar. De cozinha tailandesa aos bistrôs franceses, há de tudo. Sem esquecer os sabores locais, como a guavaberry — uma fruta vermelha doce muito parecida com a cereja.

A fração francesa é menos animada. Mas para compensar, conta com praias que lembram trechos da Côte D’Azur. Marigot Beach tem o único shopping center da ilha. Até vale a visita, mas os preços são menos atraentes – ali tudo é pago em euro. Bom mesmo é caminhar pela orla e apreciar o porto.

 

st maarten11

 

O que você deve saber:

• Três moedas? Isso mesmo. Na parte francesa, o euro. Na outra, o florim. E também o dólar, sem problemas.

• Em Maho, quem preferir fugir da música caribenha, procure o Soprano’s. A música é internacional: jazz e pop.

• Alugar um carro pode ser uma boa. Mas cuidado, na alta temporada o congestionamento é enorme. As ruas são estreitas e é complicado estacionar.

• Um passeio para todas as idades: o Forte Amsterdam. A fortaleza do século 17 está em ruínas, mas nos brinda com uma vista espetacular.

• Programa tentador: dar a volta na ilha a bordo de um grande veleiro catamarã e descobrir lindas ilhas desertas. Procurem a Eagle Tours.

Como chegar: As companhias aéreas americanas com melhores conexões são: American Airlines e Delta Airlines. Também é possível chegar através das irmãs Aruba e Curaçao.

 

Visite: 

– 12 Meter Regatta, Porto de Philipsburg

– Eagle Tours, Jurancho Yrausquin Bojulevard (Bobby’s Marina), Philipburg

– Guavaberry Emporium, Frontstreet 8-10, Philipsburg

 

Onde comer:

– L’Escargot, 96 Front Steet, Philipsburg

– Le Chanteclair, Marina Royale, Marigot

– Le Marrakech, (Marroquino), Marigot

– Baskin Robbins, (Sorveteria), Simpson Bay

– Mooi Restaurant, (Fusion Food), Puerta del Sol Plaza, Simpson Bay

– Le Lagon Creole-Creperie, (Francesa/ Caribenha), Colebay

– Le Tastevin, Grand-Case

– Le Pressoir, Grand-Case

 

Noite:

– Bliss, Bacon Hill Road 2

– Tantra, Rhine Road

– ESPN Sport Bar, Simpson Bay

 

Onde ficar:

Radisson Blu Hotel – melhor localização;

Sonesta Maho Beach, o famoso hotel próximo ao aeroporto de Philipsburg, não perca o pouso dos aviões bem próximos a praia;

Westin Dawn Beach, hotel com apartamentos com cozinhas totalmente equipadas;

The Cliff, fica na famosa praia de Cupecoy;

La Samanna, o hotel mais chique da ilha;

Esmeralda Resort,  hotel pequeno e muito charmoso

 

Anote:

Aeroporto: Aeroporto Internacional Princess Juliana (SXM)

Capital: Philipsburg (lado Holândes), Marigot (lado Francês)

Moeda: Florim holandês (US$ 1 equivale a Naf 1,82, mas o dólar é bem aceito). No lado francês, o euro é a moeda local

Idioma: Holandês, mas o inglês é sempre falado

Visto: Sim, visto americano devido à conexão nos Estados Unidos

Vacina: Febre amarela

Código de telefone: 599

Melhor época para viajar: O ano todo, temperatura média de 29 a 22° C

 

0 comment

Turtle Island – Ilhas Fiji

turtle aerea

 

Já imaginou uma ilha “all inclusive”? Com acomodação para apenas 14 casais de cada vez?

Uma lagoa azul é o cenário dessa ilha paradísica chamada Turtle Island.

Ventos suaves, cheiro de flores tropicais, águas quentes e azuis… São 14 praias particulares que convidam os casais a desfrutar de um dos cenários mais perfeitos do planeta.

A ilha é completa e assim que chegamos somos recebidos por nossa “Mama Bure”, que nos ajuda com tudo que precisamos. Das refeições às atividades durante o dia, tudo na ilha é para nosso uso exclusivo. Ela fica a diposição para se certificar do que precisamos e desejamos durante a nossa estadia.

 

refeição turtle1

 

A culinária é à base de frutos do mar frescos das águas locais, frutas e vegetais cultivados na ilha… tudo delicioso!

A experiência cultural começa no momento em que conhecemos os gentis e simpáticos anfitriões locais. E a partir disso é uma surpresa maior do que a outra; eles fazem de tudo para agradar!

 

rooms turtle

 

As 14 vilas dessa ilha em Fiji são separadas por praias privadas, que acomodam apenas 28 pessoas ao mesmo tempo. Cada uma das 14 casas (chamados de “bures”) se estende ao longo da famosa “Lagoa Azul” e são separadas umas das outras por praias de areia branca e coqueiros. Ou seja, você vai ter o seu próprio pedaço de paraíso!

Turtle Island Fiji é aquilo que sempre sonhamos para a lua de mel perfeita, aniversários de casamentos ou renovações de votos.

O hotel já foi premiado por seu compromisso com o turismo sustentável, o que torna essa energia da ilha ainda mais interessante. E também é constantemente classificado como um dos melhores e principais destinos de lua de mel do mundo!

 

beach turtle2

 

Mas a gente só entende isso quando chega lá. Quando se depara com a essência do romance o tempo todo à nossa frente… Seja no piquenique compartilhando uma taça de champanhe com a pessoa que você ama, no jantar à luz de velas num platô sobre as águas ou na troca de votos de uma cerimônia de casamento!

 

dinner turtle

 

Só posso dizer que conhecer Turtle Island transformará o seu sonho de lua de mel perfeita em realidade!

 

0 comment

Polinésia Francesa – O Tahiti e suas ilhas.

O mar é incomparável, super transparente, com anéis de corais e águas mansas, uma cordilheira de origem vulcânica submersa, da qual só se vêem os picos, o que nos brinda com vários tons de azul e verde.

É um aquário a céu aberto com uma infinidade de plantas e peixes. A paisagem é composta por montanhas, coqueiros verdes, praias de areias brancas, vegetação exuberante e várias espécies de flores.

O clima é privilegiado. Os luxuosos resorts polinésios com bangalôs sobre a água, imensas piscinas, luaus e piqueniques à beira mar fazem desse lugar o sonho de consumo de milhares de pessoas.

Os nativos, sempre atenciosos, estampam um sorriso no rosto e coroas de flores na cabeça. É praticamente o paraíso na Terra!

Casar no Tahiti é sinônimo de uma cerimônia especial com direito a preparação com roupas típicas, ritual para afastar os maus espíritos e para a purificação da união. É realmente deslumbrante. E os casais apaixonados ainda contam com a garantia de ter muita música, dança, bebida, um jantar especial e o mais importante: uma lembrança para a vida toda.

A Polinésia Francesa é formada por 118 ilhas agrupadas em 5 arquipélagos: Sociedade, onde estão as ilhas mais conhecidas; Tuamotu, ilhas de coral em forma de anel; Marquesas, ilhas bem afastadas – ideais para ecoturismo; Austrais, clima mais fresco e poucos turistas; e Gambier, isolada do turismo convencional pela dificuldade de acesso.

Tahiti

É a ilha mais importante da Polinésia Francesa, onde fica a capital Papeete e o único aeroporto internacional.

Embora tenha ótimas praias para o surf, não são de boa qualidade. Tahiti é também a ilha com maior atividade noturna e lugares de interesse cultural.

A península de Tahiti Iti, no lado oposto de Papeete, com montanhas, cascatas e selvas é ideal para o ecoturismo ou para os que querem um contato com o povo local. Mas é bom ficar atento, pois no local não há hotéis de turismo, apenas pousadas locais.

Bora Bora é sem dúvida a mais famosa dentre as ilhas da polinésia.

O maior atrativo é o colorido das águas, que brilham com tons inimagináveis de azuis, verdes e violeta. É também a ilha favorita dos casais em lua de mel ou aniversários de bodas.

Bora Bora tem as mais lindas praias de areia coralina, banhadas por uma mar espetacular. Estas praias estão em pequenas ilhas de recife, chamados de “motu” e na ilha central, no setor de Matira.

Moorea

Moorea é a ilha com melhor acesso desde Papeete. Apenas 18 Km de mar as separam.

Paisagens incríveis, vegetação espetacular, Moorea é perfeita para o ecoturismo, lua de mel, e para aqueles que buscam atividades completas.

Como não é necessário fazer deslocamento aéreo para acessar outras ilhas é a melhor opção para quem busca preços mais econômicos. Moorea é caracterizada por uma natureza exuberante, lindas montanhas e vales escarpados.

Na costa norte, duas baías profundas – Cook e Opunohu – penetram como fiordes no maciço montanhoso. E é justamente nesta costa que se localizam os hotéis e lugares turísticos. Moorea é talvez a ilha com maior riqueza cultural: artesanato, tatuagens, espetáculos folclóricos e galerias de arte.

Embora Bora Bora a supere pela exuberância do mar, a maioria dos visitantes concorda que as montanhas de Moorea ainda são as mais belas.

Huahine

Ilha cujas águas vão de encontro ao mar colorido da vizinha Bora Bora. Todas as praias são de areia branca e água turquesa.

A praia de Avea está entre as mais lindas da Oceania.

O ambiente é especial e o pouco acesso dos turistas tornam a ilha ideal para férias sossegadas. Huahine também se destaca como a ilha com a maior quantidade de sítios arqueológicos.

Além de ótimas ondas para os surfistas avisados, o locar também exibe fantásticas condições para snorkeling.

Taha´a

Poucos turistas se interessam por esta ilha que mais lembra a Polinésia de tempos passados.

É a ilha com menos urbanização do arquipélago da Sociedade. As aldeias são pequenas, o tráfego escasso, as lanchas e piraguas são o meio de transporte usual. Quase não tem praias e a vegetação cresce até a costa.

Taha´a é indicado para aqueles que buscam um lugar remoto e exclusivo, mas de fácil acesso. Atraem também iatistas que encontram águas protegidas para fundear.

Rangiroa

É o maior atol das ilhas Tuamotu. Inclui 240 ilhotas que se sucedem uma atrás da outra até perderem-se na bruma azulada.

O mar de cor azul turquesa é seu grande atrativo. É também o local mais famoso de mergulho de toda a Polinésia. Em muitos desses mergulhos, podem-se avistar tubarões, golfinhos, napoleões, tartarugas, arraias, barracudas e etc.

O snorkeling é espetacular, seja flutuando nas águas interiores ou à deriva, impulsionado pela corrente do mar.

Rangiroa é a ilha Tuamotu mais desenvolvida e de mais fácil acesso. Oferece grande variedade de atividades aquáticas e excursões.

Manihi

Poucos turistas visitam Manihi, mas os que visitaram consideram os momentos que passaram ali um dos mais memoráveis de toda a viagem. Em Manihi nasceu o cultivo da famosa pérola negra, que é um indicativo da pureza das águas.

Manihi é um atol ovalado com várias ilhotas, das quais só uma é habitada. Não tem caminhos, nem montanhas ou rios. Tudo gira em torno do mar e assim como Rangiroa, o mergulho é excelente!!

Dicas Úteis

Localização: Oceano Pacífico, a 7.940 km da cidade de Valparaíso no Chile.

Geografia: 118 ilhas e ilhotas agrupadas en 5 arquipélagos: A Sociedad, Tuamotu, Gambier, Marquesas e Australes.

Clima: Dezembro-Março registra níveis ligeiramente superiores de calor (média 27º C). Junho- Setembro é temporada mais fresca (média 25º C).

População: 220.000 habitantes, dos quais mais da metade vive na ilha de Tahiti. O padrão de vida é alto (salário mínimo de USD 1.520), o que evita os níveis de pobreza que se observam em outras ilhas tropicais.

Idiomas: Oficiais são o francês e o maohi (tahitiano). Na indústria turística se fala inglês e algo de espanhol e japonês.

Moeda: Franco francês do Pacífico XPF (abreviado FCFP ou CFPF).

Gorjetas: Não faz parte dos costumes tahitianos!!

Eletricidade: Corrente de 110 ou 220 volts, dependendo da ilha ou lugar de alojamento. Os hotéis possuem adaptadores.

Telefonia: O custo da chamada à América do Sul é de aproximadamente USD 7,50 via operadora.

Como chegar: Dois vôos semanais da LAN a partir de Santiago (quartas e domingos, voltando segundas e quintas). O vôo com escala na Ilha de Pascoa, demora entre 11-12 horas na ida e 9-10 no retorno. Papeete é o ponto de conexão com vôos para Japão, Austrália e Nova Zelândia.

Requisitos para ingresso: Brasileiros não necessitam de vistos para estadias até 3 meses.

Licença de motorista: São válidas as do país de origem desde que tenham pelo menos 1 ano desde a emissão. Idade mínima: 21 anos.

Impostos: Nossos pacotes turísticos incluem os impostos, exceto uma taxa de turismo cobrada por alguns municípios EME deve ser paga localmente. Estas taxas são as seguintes: Em Papeete, Faaa, Punaauia, Arue, Bora Bora, Huahine, Moorea, Raiatea, Tahaa, Tikehau e Rangiroa: 150 CFP por pessoa, por dia, nos hotéis classificados e equivalentes.  Atenção: os menores de 12 anos viajando com os pais estão isentos de taxa de estadia. Impostos sobre cruzeiros: 500 CFP por pessoa, por dia.

Gastronomia: O prato típico é atum fresco marinado no leite de coco. Na festa tradicional Tamaara´a, é servido um banquete de carnes e verduras cozidas em um forno enterrado na areia. Peixes típicos da região são o mahi mahi, peixe papagaio, atum, bonito e peixe espada. É muito comum encontrar uma parrilhada de peixes em uma ilhota desabitada.

Conselho prático:  Não esqueça o protetor solar.

Se fuma, leve os cigarros que necessita para toda sua estadia. No Tahiti o tabaco é muito caro.

Leve um par de sandálias de borracha para andar na praia, mesmo se estiver indo apenas dar um mergulho – os corais podem machucar. Em caso de corte, desinfete com suco de limão e procure um médico no hotel.

Documentos Necessários: Passaporte válido com mínimo de 6 meses. Não é necessário visto para a Polinésia Francesa.

Fuso Horário em relação ao Brasil: 7 horas a menos que o Brasil.

Horário Comercial: As lojas funcionam de 07:30 as 17:00 h de segunda a sexta e de 07:30 as 11:00 h aos sábados.

Bagagem: Nos trechos aéreos é permitido o transporte de 1 volume com no máximo 20 kg, mais 5 kg de bagagem de mão.

Hotéis: Normalmente o horário de Check-In é às 15 horas e Check-Out às 10 horas.

Roupa: O vestuário na polinésia é bastante informal.

Vida Noturna: A vida noturna é mais intensa em Papeete com várias opções de bares e restaurantes. Nas outras ilhas as opções são pequenas, sendo os bares e restaurantes dos hotéis os mais freqüentados. Há sempre nas ilhas um grupo local que a noite faz show típico nos hotéis.

Fonte: Drift Tur; Viajando a Dois; Expedition.

86 Comments