gastronomia

Bahamas

Tal como acontece em Las Vegas, é muito fácil se casar nas Bahamas.

A rigor, basta o passaporte e cerca de US$ 150. O padre e a igreja são ecumênicos. O astral é altamente propenso ao romance. Já chegamos lá apaixonados e ficamos mais ainda ao conhecer algumas das 32 ilhas habitadas.

Apenas duas ilhas reúnem a maioria dos visitantes: New Providence (Nassau) e Grand Bahama.

O turismo e os bancos sigilosos garantem a economia de um lugar ótimo para mergulhar, nadar, velejar, curtir e namorar. E até casar.

Claro que as praias são indispensáveis, mas vale muito fazer o tour que começa na Christ Church Cathedral (interior espetacular e vitrais idem), passar pelos prédios cor de rosa da Parliament Square, avançar pela antiga cadeia (hoje, biblioteca) e terminar na residência do governador-geral.

A essência caribenha e inglesa ainda se mantém apegada aos hábitos britânicos.

Duas pontes, por exemplo, unem Nassau a Paradise Island. Em Nassau, é interessante ver os coloridos mercados da Bay Street, as lojas duty free e o penteado das mulheres.

Os cruzeiro costumam ancorar em Freeport, em Grand Bahama, em virtude não só das praias mas, também, do International Bazaar. International Bazaar é um shopping gigantesco, temático, dividido em seções com produtos de diferentes partes do mundo e com preço bastante convidativo. Outra atração é caminhar pelas largas avenidas e sair em Port Lacaya.

Tem de tudo lá: hotéis extraordinários, cassinos e, o melhor, bares pertinho das marinas e do charmoso iate clube. O lindo canal interno que separa a região da ilha também faz de Freeport um lugar que vale constar no roteiro.

No Monte Alvernia, o ponto mais alto de Cat Island, existe um mosteiro todo em pedra. Cat Island é, ainda, o lugar onde os nativos praticam o Obeah, um ritual de magia. Até hoje muitos casais americanos procuram o lugar para “absorver” um pouco da magia local.

Little Bahamas Banks é o ponto certo para quem procura águas rasas, com uma visibilidade absurda e mar tranqüilo. Também é lugar de diversão. Basta pegar um barco e seguir rumo a região dos golfinhos.

É quase impossível determinar o número desses cetáceos, são muito, nadam livremente e não se assustam com nada. Em alguns dias, a colônia é ainda maior. Seja como for, sempre haverá golfinhos amistosos. Dá para nadar ao lado deles, interagir, e brincar.

Andros – a maior ilha das Bahamas é desabitada. Mas isso não quer dizer que você não deve se hospedar por lá. Meus amigos mergulhadores não querem outra vida. Fica lá o mais antigo resort de mergulho do arquipélago, o Small Hope Bay Lodge. É lá que ficam as mais extensas barreiras de corais do mundo e os 50 “buracos azuis”. Indispensável, mesmo para quem não pratica mergulho com cilindros. Se você adora fazer snorkeling, pescar, ou apenas admirar uma linda paisagem, não deixe de visitar.

Outra dica imperdível é se hospedar ou visitar o Hotel Atlantis. Muito consideram a Disneylândia aquática! Sim, o lugar é demais. Um hotel enorme, com milhares atrações aquáticas num clima de muito astral. Vale apena ver os vídeos com as atividades. http://www.atlantis.com/

Curiosidades:

As estatísticas apontam que Bahamas têm mais de 310 dias de sol ao ano!

Todos os grandes hotéis oferecem saídas para mergulho. A mais radical delas é promovida pela Stuart Cove. Você desce a 15 metros de profundidade numa espécie de bike aquática onde sua cabeça fica coberta e seca (claro!), é bem parecido com uma bolha. A “bolha” ou cúpula, é grande o suficiente para a sua cabeça e até suas mãos. Isso também significa que você respira normalmente sem a necessidade do uso de tubos de snorkel ou reguladores, como você faria se estivesse mergulhando. Lá embaixo você vai vislumbrar recifes de coral, peixes coloridos, e sim, diversos tubarões. Eles são alimentados na nossa frente por um funcionário da Stuart. Mas o mergulho é seguro — e vale para contar aos netos um dia.

Para saber se uma loja é duty free, procure pelo selo DFS. Você consegue descontos de 25% a 50% em relação aos preços nos EUA. Perfumes, cristais, roupa de couro, jóias, roupas de cama, mesa e banho, relógios, equipamentos fotográficos, porcelana, etc, são itens isentos de impostos.

Os frutos do mar são a base da dieta bahamense. O conc é um tipo grande de molusco oceânico que possui carne branca, firme, desfiada. Uma delícia!

A “Festa do Caranguejo” acontece nas noites de sexta no The Churchill Garden Bar, ao lado do International Bazaar. Começa às 18h30, e é bom chegar cedo para não perder nada.

COMO CHEGAR

Não há voo direto. As companhias aéreas com melhores conexões são: Delta Airlines e American Airlines, via Estados Unidos, lembrando da necessidade do visto americano.

NASSAU

Visitar

Escadaria de Rainha, Avenida Elizabeth na altura da Shirley Street. Visita obrigatória em Nassau.

Mergulhar

Stuart Cove’s – http://www.stuartcove.com

Compras

Bahama Craft Centre (Artesanatos), Paradise Island, em frente à Hurricane Hole Plaza

Festival Place (Artesanatos), Prince George Wharf (cais), Bay Street, Nassau.

GRAND BAHAMA

Visitar

Parque Nacional Lucaio, possui um dos maiores sistemas de cavernas calcárias, submarinas do mundo, mangues e uma praia magnífica.

Trilha Heritage (8 km), uma das principais trilhas da ilha, de trajeto fácil, visitando as ruínas do “The Hermitage”.

Compras

International Bazaar

Fragrance of The Bahamas, Freeport http://www.perfumefactory.com

Opções de hospedagem para sua viagem a dois:

British Colonial Hilton Nassau

Paradise Island Harbour Resort

Sandals Royal Bahamian Spa Resort & Offshore Island

Wyndham Nassau Resort & Crystal Palace Casino

Anote

Aeroporto: São 3 aeroportos internacionais, mas o principal é o de Nassau/Paradise Island, Grand Bahama e Exuma

Capital: Nassau

Moeda: Dólar bahamense (B$) e equivale ao dólar americano, que também é aceito como moeda

Idioma: Inglês

Visto: Não é necessário, mas o visto americano é indispensável para quem voa via EUA

Vacinas: Febre amarela

Código de telefone: 1 242

Melhor época para visitar: A média anual é de 27 graus, lembrando que de agosto a novembro existe o risco de furacões

4 Comments

Grandes Etapes Françaises

Criada em 1957, a empresa Grandes Etapes Françaises é um grupo hoteleiro familiar, composto por 10 Castelos-Hotéis e Residências de charme, no coração das mais bonitas regiões turísticas francesas.

Todos os estalebecimentos oferecem a mesma qualidade de serviços, preservando um caráter único conferido pelo seu patrimonio arquitetônico, histórico e cultural.

Se destacam pela qualidade de acolhimento e o serviço cuidadoso reservado aos hópedes franceses e estrangeiros.

Na área externa os grandes parques e jardins são lugares de calma e repouso. Alguns também oferecem spas.

Na aérea interna, dispõem de salões para recepção, cerimônias, casamentos e banquetes.

Os quartos, todos personalizados, respeitam o caráter histórico do local e oferecem ao mesmo tempo todo o conforto moderno.

Viajando a Dois destaca agora os 10 Castelos-Hotéis mais encantadores da França:

Chateau D´Esclimont

É no meio de um parque com 60 hectares que você descobre o Castelo de Esclimont, uma verdadeira jóia da arquitetura renascentista.

O antigo palácio da família La Rochefoucauld conta com 53 quartos decorados com toda a pompa dos castelos do século XVI.

É uma paragem romântica a menos de uma hora de Paris, entre Versalhes e Chartres.

Uma opção interessante para passar uma noite romântica em meio a natureza local.

Chateau D´Artigny


No vale do rio Indre, avistamos ao longe as pedras brancas do majestoso Castelo de Artigny.

São vinte e cinco hectares de parque, um elegante jardim à francesa (de formas geométricas e simetria perfeita), mármores e madeiramentos frescos em trompe l´oeil.

O castelo, construído pelo célebre perfumista François Coty, tem 63 quartos, fica a 10 km de Tours e aproximadamente 230km de Paris.

As desgustações de vinho costumam chamar atenção dos hóspedes que apreciam o sabor dos vinhos regionais.

Domaine de Beauvois

Situado a oeste da ciadade de Tours, esse lindo solar dos séculos XVI e XVII encontra-se no meio de um parque arborizado em frente ao lago Briffaut.

Um hotel charmoso com conforto requintado. No verão, você poderá apreciar uma cozinha saborosa servida no terraço ou ao ar livre.

Domaine de Beauvois encanta por ser um castelo-hotel menor, com apenas 32 charmosos quartos, pela sensação de aconchego e clima propício para o romance.

Le Choiseul

Le Choiseul é um conjunto de três lindas residências do século XVIII: a Maison de l’Ermite (a casa do Eremita), em que os quartos tem vista para jardins de estilo italiano, a Maison de Duc (casa do Duque) com recepção, bar e restaurante, e a Maison de l’Apothicaire (casa do Farmacêutico), cujos quartos estão voltados para o Vale do Loire.

São apenas 32 quartos.

É o lugar ideal para quem quer visitar os castelos da região do Loire, desgutar uma cozinha requintada e vinhos renomados.

Le Prieure

Esta exuberante residência dos oferece 21 quartos tradicionais e 15 quartos no estilo campestre em residências no parque.

Os salões e as salas de jantar têm aquela vista linda para o Vale do Loire.

A equipe do castelo é muito dedicada e cuidadosa com os hópedes sempre convidando-os para desfrutar dos salões, casas de jantar, terraços para relaxar e os prazeres da gastronomia.

Le Mas D´artigny & Spa

No alto de uma colina voltada para o mar Mediterrâneo, pertinho de Nice, o castelo fica de frente para as muralhas da vila medieval Saint Paul de Vence.

A enorme propriedade conta com 85 quartos e um Spa maravilhoso.

Um verdadeiro oásis de natureza com as cores e perfumes da Provence.

Chateau De Divonne

A cerca de 15 minutos de Genebra, esta elegante residência oferece uma vista excepcional para os Alpes e o Mont Blanc.

A dois passos do Cassino e do campo de golfe, é uma parada sensacional para repousar e curtir a gastronomia local. Um lugar onde beleza e relaxamento se conjugam perfeitamente.

Chateau de Gilly

No coração da Borgonha, você não resistirá ao charme do Chateau de Gilly, que foi por muito anos a morada dos abades de Cîteaux.

É lindo ver como preservaram a antiga adega com abóbada de ogivas cruzadas e o seu jardim de estilo francês que une conforto, serenidade, tradição e a gastronomia.

Amplas salas de recepção com pedra bruta, mas também a refinada decoração do Século XVII, fazem dessa parada uma ótima oportunidade para viver um pouco da atmosfera de Borgonha.

Chateau D´Isenbourg

O Castelo D`isenbourg é uma elegante construção rodeada por jardins floridos.

De um lado a floresta dos Vosgos e do outro os vilarejos e seus vinhedos.

Está sempre presente nos roteiros gastronômicos e na rota dos vinhos da Alsácia.

Chateau De L´ile

Situado na cidade de Estrasbourg, esse é um dos castelos mais românticos da França.

Sua arquitetura alsaciana é tradicional, com pombais, varandas floridas e terraços junto ao rio.

Ao mesmo tempo, é moderno, conta com climatização, piscina coberta e Spa.

Fonte: Françatur; Drift Turismo; http://www.grandesetapes.fr

0 comment

Barbados

Barbados é a mais britânica das ilhas do Caribe.

Suas construções vitorianas, organização impecável e resorts requintados traduzem o charme local. O cenário é encantador: praias de água mansa e uma cor que ilha nenhuma mais possui.

Bridgetown é a capital. Fica na costa oeste da ilha e tem suas águas protegidas.

É praticamente um mar com a serenidade de um guarda do Palácio de Buckingham. Algumas mansões coloniais continuam intactas por ali. Hoje, além delas, os resorts exclusivos.

A população cultiva hábitos britânicos, como o cricket e a mão-inglesa. O povo é animado, descontraído, a música que embala a ilha é o calipso — trazido da ilha de Trinidad, bem próxima.

O centro é tão britânico que parece estarmos andando em plena Oxford Street no verão. Por esse motivo os jardins são irrepreensíveis.

As destilarias de rum valem a visita. Uma das mais interessantes é a fabrica da Mount Bay, ao norte da ilha. Há quem prefira juntar praia e rum (o que não é de todo mau).

Em Malibu, praia idílica, é produzido o lícor do mesmo nome e os guias fazem questão de nos mostrar que tem origem singular. Reza a lenda de que um coco teria caído num barril de rum!

Do outro lado da ilha, pagam-se cerca de 20 dólares para entrar em Sandy Beach.

O preço inclui cadeiras de praia, cama elástica dentro da água e uma das baías mais aliciantes de Barbados. Os abonados que se hospedam no resort Sandy Lane (que já hospedou a rainha Elizabeth II), já começam a ter uma idéia de onde estão quando são recebidos pelo veículo que vai buscá-lo no aeroporto, um Rolls-Royce. Um campo de golfe, jantares de alta gastronomia também fazem parte da elegância do resort e a noite termina com bailes no Starlight Terrace, sob a luz das estrelas. Tudo muito britânico!

Mas existe uma vantagem em Barbados, enquanto os resorts de extrema elegância, com diárias a preços exorbitantes encantam por sua magnitude, as hospedagens mais acessíveis são charmosas e confortáveis. É o caso do Crystal Cove Hotel.

Existe um castelo que é museu e hotel. O belo e grandioso Castelo de Sam Lord foi construído em 1820 e tornou-se um museu sobre a colonização britânica.

Os amantes da natureza e das flores, não podem perder o Andromeda. Um jardim botânico bem original. Tem piscinas, cascatas, restaurantes e jardins belíssimos. O ponto forte é orquidário, com muitas espécies diferentes.

Uma dica para quem for almoçar por lá. Peça para que manerem na pimenta!!! Os pratos tradicionais são: frango temperado, arroz com ervilhas e angu. O símbolo da ilha é também um prato: o flying fish. Camarões e lagostas também são de ótima qualidade.

Para quem gosta de aventura pode escolher um dia para navegar nos catamarans e chegar a Paynes Bay. Lá vocês podem nadar entre tartarugas e arraias. Um ótimo passeio pra quem quiser passar um dia diferente na ilha.

Uma das melhores vistas da ilha é proporcionada pela Igreja de St. John que fica à beira de um precipício. Mas a própria igreja já vale a visita.

A Sunbury Plantation House é sede de uma antiga fazenda de cana de açúcar do século 17. Hoje, é um museu com uma coleção de carros e máquinas fotográficas d’antanho.

Para os casais que estão em busca de sol e mar sem perder a elegância e o conforto podem apostar em Barbados!

3 Comments

Aruba

BONBINI!!

Significa Bem-vindo no dialeto local. E é assim que esse povo festeiro recebe os turistas.

A ilha é árida, chove pouco e faz calor na maior parte do ano. Isso quer dizer que sua lua-de-mel não será atrapalhada por um aguaceiro.

A falta de chuva poderia reverter em muito calor, se não fosse outra virtude: os ventos elísios. Eles tornam uma delícia os dias na praia.

Os ventos são tão intensos que criaram um símbolo local — a Divi-Divi (árvore que já nasce inclinada) — e transformaram Aruba no sonho dos praticantes de windsurf, kitesurf e afins.

Aruba tem clima de romance o dia inteiro. Pra começar, café da manhã de frente pro mar, com a brisa da manhã e o sol conquistando seu lugar.

Para os que gostam de sossego, os passeios ao longo das praias, com direito a drinks a beira mar são perfeitos. Depois de se inspirar com o pôr-do-sol, a pedida é se espalhar entres os bares mais animados.

Aruba tem de tudo um pouco: cassinos, praias lindas, gente bonita, boa comida, e uma grande vantagem, apesar dos ventos, a ilha está fora da rota dos furacões.

A ilha tem 30 quilômetros de comprimento, apenas. Esse espaço é suficiente para os 110 mil moradores de 94 nacionalidades, o que torna a ilha cosmopolita.

A lingua oficial é papiamento, uma mistura de holandês, inglês e espanhol. Ainda assim, conseguimos identificar algumas palavras em português nesse complexo dialeto.

Oranjestad, a capital, ainda conserva sua encantadora arquitetura holandesa. Está localizada numa baía e parece uma cidadezinha de cinema. Tem um centro variado, com culinária colombiana, surinamesa e francesa.

Destaque para o Ranaissance Aruba Resort & Cassino. O hotel tem uma ilha particular, onde os hóspedes podem passar o dia, aproveitando o melhor que Aruba tem a oferecer. Além de linda, o contato com a natureza nos mostra um clima diferente das praias. O contato com flamingos, iguanas e pássaros exóticos é o ponto alto dessa ilha particular.

Mas Aruba não é só feita de natureza e mar. Alguns dos melhores cassinos abrem já pela manhã. A pergunta é: quem são os frequentadores nesse horário? Sim, turistas de todo o canto do mundo escolhem Aruba para jogar.

Um passeio imperdível é a Fazenda de borboletas – fazer uma visita a este local pode se tornar inesquecível.

É um encontro com toda a beleza e diversidade da natureza de Aruba. Borboletas de várias cores se espalham pelos jardins, e podemos observar o ciclo completo dessas criaturinhas fascinantes. O guia nos ensina sobre o habitat das borboletas e a metamorfose. Vale a pena levar sua câmera!

Outro passeio divertido é fazer o Parasailing! Tudo começa quando o barco começar a rebocar o seu pára-quedas, fazendo com que o ar infle e te leve às alturas por sobre o mar de Aruba. Uma sensação de liberdade incrível. Do alto somos contemplados com a visão que se abre diante de nossos olhos… toda a ilha de Aruba e o mar do Caribe! O passeio dura 15 minutos.

Eagle Beach foi a primeira a ser ocupada pela cadeia hoteleira, ainda nos anos 70. Os hotéis são altos e separados por uma avenida. A praia é mais sossegada e oferece muitas sombras por causa de suas árvores.

Palm Beach oferece os chamados hotéis pé-na-areia, sem qualquer rua que os separe da praia.

Essa é a praia mais movimentada. Quem se hospeda em Palm Beach quer conforto, praia na frente do hotel e diversão a noite. Quem prefere se deslocar menos curte ficar em Oranjestad, praia de hotéis e cassinos.

O ideal é alugar um carro. Sai barato, pois em Aruba a gasolina não é muito cara.

De carro é mais fácil chegar a praias menos frequentadas, como a Malmok e Arashi (na ponta norte), a Roger’s Beach e Baby Beach, na outra extremidade.

A Baby beach é uma praia reservada, encantadora. O mar é uma piscina. As águas são de uma incrível visibilidade, e por isso deixam Aruba entre os grandes destinos de mergulho no Caribe. Um snorkel, uma máscara e nadadeiras já deixam você boquiaberto.

Mas se você não tiver um curso de mergulho autônomo — aquele com cilindro de ar comprimido — poderá fazê-lo na própria ilha. Um destaque: a visita aos navios naufragados.

A noite, ainda na porta do hotel começa a dança. O Kukoo Kunuko, um ônibus de 1957, passa de hotel em hotel para recolher os mais animados.

Não se trata de um simples meio de transporte. O ônibus tem uma pista de dança!!

Entre os bares mais animados, estão o Señor Frog’s, o Mambo Jambo, o La Fiesta e o Café Bahia. Sem esquecer o Choose a Name.

O que você deve saber:

• Cerca de 18% da ilha foram reservados para o Parque Nacional de Arirok. É semelhante a um deserto. Tem atrações interessantes. A Caverna Fontein guarda desenhos dos índios arawak.

• Você não precisa trocar dólares pela moeda local. Eles aceitam a moeda estrangeira e até o troco costuma vir em dólares.

• Aruba não é um porto livre. Mesmo assim, os impostos de importação são tão baixos que as compras se tornam atraentes. Ao menos para brasileiros. Fique atendo com o horário, as lojas das principais ruas ficam abertas das 8h às 18h, mas a maioria das lojas fecham na hora do almoço, e funcionam de segunda a sábado!

• Não esqueçam o protetor solar. Os ventos as vezes nos fazem acreditar a temperatura é outra. Os ventos também provocam terríveis nós nos cabelos. O ideal é usar chapéus ou lenços. Mais, prático: prender os cabelos.

• Entre os pratos típicos estão o balchi pisca (almôndegas de peixe), keri keri (peixe ensopado moído), kokomber stoba (pepino do mar ensopado), calabas stoba (abóbora guisada), cala (bolinhos de feijão branco) e suls (carne de porco marinada).

Como chegar:

Não existem voos diretos. As companhias aéreas com melhores conexões são: Avianca e Copa Airlines. Além dos voos Fretados da Gol, com saídas aos sábados.

Não Perca:

– Parque Nacional de Arikok, localizada na parte norte-oriental, é uma reserva ecológica – http://www.arubanationalpark.org/

– Morgan’s Island Water Park,parque aquático localizado próximo aos hotéis em Eagle e Palm Beach – http://www.arubamorgansisland.com/

– Fábrica de Cerveja Balashi, Balashi http://www.balashi.com/balashi/BBeer.htm

Onde Comer:

– Charlie’s Bar (comida típica), Main Street 56, San Nicolas http://www.charliesbararuba.com/

– Papillon Restaurant (internacional), The Village, Irausquin blvd 348 A http://www.papillonaruba.com/

– Chino Latino (fusion), em Palm Beach – http://www.chinolatinoaruba.com/

Noite:

– Bungaloe Beach Bar, Palm Beach 79

– Mr. Jazz, LG Smtih BLVD 382-A 2nd Floor, Paseo Herencia  http://www.mrjazzaruba.com/

– Mambo Jambo, Royal Plaza Mall, Downtown http://www.mambojamboaruba.com/

 

Ofertas Especiais para Casais em Lua-de-Mel

De acordo com o programa One Cool Honeymoon, casais em lua-de-mel recebem sempre um tratamento diferenciado em Aruba. A ilha oferece não apenas um cenário idílico e paradisíaco aos casais, mas também diversos benefícios.

Escapadas Românticas e Lua-de-Mel (o ano inteiro), Aruba sempre foi um dos melhores destinos para encontros românticos, lua-de-mel e mais recentemente, casamentos. Em Aruba, a promoção “Lua-de-Mel de Primeira” (OCH) continua sendo um sucesso. Recém-casados em lua-de-mel recebem uma garrafa de champanhe na chegada a seus quartos, um presente de recordação do seu resort, e também uma noite gratuita num futuro retorno para comemoração do aniversário de casamento. Os recém-casados precisam apenas se identificar quando reservarem seus resorts para receberem, automaticamente, os benefícios listados acima. GRÁTIS!

RESORTS PARTICIPANTES

Amsterdam Manor

Aruba Marriott Resort

Aruba Phoenix

Aruba Renaissance

The Boardwalk Retreat

Bucuti Beach

Divi Aruba All Inclusive

Divi & Dutch Village

Holiday Inn

Hyatt Regency

La Cabana

Manchebo

MVC Beach Club

Occidental Grand

Radisson Aruba

Tamarijn Aruba All Inclusive

The Mill Resort

Tierra del Sol

Westin Aruba Resort

 

2 Comments

Turks and Caicos

Abriremos o blog com as ilhas Turks and Caicos.

Um lugar paradisíaco, exótico e muito romântico.

Visto por décadas como um lindo point de mergulho, o arquipélago, formado por 40 ilhas, tem muito a oferecer aos casais em lua de mel.

Na ilha principal, Providenciales, fica uma das dez praias mais bonitas do mundo (Grace Bay), segundo a revista americana Condé Nast Traveler.

Em outra, a Grand Turks, está um dos principais museus do Caribe. Há ilhas com isolamento total, como Pine Cay. Todas ótimas para mergulhar, curtir a vida e namorar muito, claro!!

O arquipélago é administrado pelo Reino Unido. Portanto, fala-se inglês. Mas muitos dos 25 mil habitantes (pois é, só isso) se viram no espanhol.

Principalmente, na ilha Providenciales (ou Provo, para os íntimos). Ela reúne o maior aeroporto, os melhores restaurantes, (alguns sensacionais) e o agito.

Para ir a belíssima Malcolm’s Beach — a praia mais deserta de Provo — é preciso alugar um veículo 4 x 4.

Fica ali o romântico resort de bangalôs em estilo asiático, o Amanyara. Lindo!

Ainda em Provo, é óbvio que você vai querer ir a tal praia eleita uma das dez mais belas do planeta pela criteriosa revista Traveler.

Além da cor turquesa do mar, Grace Bay tem areia branca, peixes brilhantes e um pôr-do-sol memorável. O céu vermelho cria uma atmosfera toda especial.

Por ali também fica a marina Turtle Cove.

Grand Turk, embora mais afastada, é onde ficam os cruzeiros.

Se vale a pena ir? Muito, se um de seus objetivos for comprar. Os preços dos free-shops são animadores.

Há também bons hotéis e tem, ainda, Clockburn Town, a capital e centro financeiro. Uma caminhada pela Duke Street e pela Front Street leva àqueles prédios em estilo vitoriano.

Para quem gosta de história, o Museu Nacional de Turks & Caicos é bem interessante!

São muitas ilhas, cada uma com sua característica. North Caicos ainda tem poucos hotéis. Alguns na graciosa Whitby. Já Pine Cay, proporciona isolamento completo.

South Caicos, por sua vez, é a ilha dos amantes da pesca. Embora o arquipélago revele tais diferenças, você sempre verá gente com roupas de mergulho, procurando os melhores pontos.

Turks and Caicos definitivamente entra no hall dos destinos de lua-de-mel românticos.

Portanto é uma opção para os casais que buscam clima quente, boa comida, praia, agito e romance!

 

O que você deve saber:

• O prato local é a carne de caracol. Se você tem ojeriza a ele, não esquente a cabeça. Há restaurantes internacionais de alta gastronomia.

• Mesmo que você não aprecie caracóis, conhecer a maior fazenda onde são criados tem que fazer parte do roteiro. Fica na Leeward Highway, em Providenciales.

• Em 15 minutos, saindo da Marina Leeward, e você estará na Ilha das Iguanas.

• Pra quem gosta de apostas, o jogo é liberado. Em Providenciales, um dos cassinos mais frequentados é o do Allegro Resorts.

• Middle Caicos tem cavernas enormes, onde moraram os índios Taínos. Vale a pena conferir.

 

Como chegar:

Voando Delta Airlines ou American Airlines, via Estados Unidos. Lembrando que é necessário visto americano.

 

Onde Comer:

Restaurante Aqua – Providenciales, Turtle Cove.

Banana Boat – Providenciales, Turtle Cove.

Hemingway – Grace Bay.

Os restaurantes dos hotéis são ótimos e o preço é razoável. Vale conferir.

 

Onde ficar:

The Palms – http://www.regentturksandcaicos.com

Amanyara – http://www.amanresorts.com

Grace Bay Resorts – http://www.gracebayclub.com

Allegro Resort (all inclusive) – http://caribbeancoast.com/nhotels/AllegroTurkCaicos

Club Med Turkoise – http://www.clubmed.com

 

 

Fonte: Drift Turismo; ADVtur.

9 Comments