Lua de Mel

St. Lucia

Lembro de noticiários dizendo que Amy Winehouse passou meses em Santa Lúcia!!

Isso me fez imaginar uma ilha repleta de bares e boates. De fato, há efervescente vida noturna.

A cantora, porém, foi em busca de descanso e beleza. Achou. Santa Lúcia tem, segundo muitos, a vista mais linda do Caribe. E esse terraço natural são os picos Gros Piton e Petit Piton.

Para os casais, essa mistura de verde e mar pode ser o cenário perfeito para a lua de mel dos sonhos.

“As montanhas abruptas e o mar, ter isso todos os dias é uma bênção.” Palavras do escritor santa-lucense Derek Walcott, prêmio Nobel de 1992.

Além da natureza exuberante, a ilha é famosa pela charmosa capital Castries e alguns dos melhores hotéis do planeta. Um brinde à escolha de Amy!

Mais de um terço dos moradores de Santa Lúcia — eles dizem “Saint Lútia” — mora na capital, Castries. Ela foi construída numa ilha com vulcões aposentados, que não tem nada de inativa e foi feita para circular a pé.

Tudo fica próximo: o Centro, as mansões, o comércio de luxo e o animado mercado público.

Quem precisa de carro? Para rumar para as praias próximas foi criada uma prática solução caseira: as lanchas-táxi.

Uma das principais atrações da capital é sem dúvida a mescla das influências britânicas e francesas. A Catedral Imaculada Conceição na Bourbon Street faz parte da influencia inglesa e de quebra, fica na praça mais bonita da cidade, a Derek Walcott.

Uma pesquisa da revista Condé Nast Traveler, perguntou aos leitores qual seria o melhor hotel do mundo.

O vencedor foi o Ladera Resort, nas cercanias de Soufrière. Só tem 25 suítes, entre a mata e o mar.

Por ali também fica a pousada Anse Chastanet, e a Jade Mountain Resort, outra encantadora hospedagem. E é fácil entender porque este trecho reúne os hotéis mais caros, eles estão próximos à maior atração da ilha: os picos Piton — onde ficam os terraços para curtir o pôr-do-sol.

Gros Pitton e Petit Piton são montanhas de origem vulcânica que a natureza construiu lado a lado, como súbita interrupção na paisagem litorânea.

Eles têm quase a mesma altura, 798 metros e 750 metros respectivamente, e a mesma idade: 40 milhões de anos. Vê-los à beira-mar já é lindo o bastante. Mas nem de longe esse prazer se assemelha a subir ao cume, de onde vemos toda a extensão da ilha.

Os dois picos são ligados por um entremeio, o Piton Mitan.

Rodney Bay é a principal área turística de St. Lucia, onde ficam as melhores lojas, bares, restaurantes e entretenimento da ilha. A praia mais legal é Reduit Beach.

Fica há 15 minutos de carro de Castries, dá para alugar cadeiras e guarda-sóis e esperar por um serviço eficientíssimo.

Não é por acaso que os cruzeiro fundeiam ao largo de Rodney Bay. Essa baía, não bastasse, fica bem próxima a Ilha Pigeon, um antigo escaninho de piratas, que guardou memórias da época.

Para os casais em lua mel, a Rede Sandals conta com três resorts all inclusive na ilha:

Sandals Regency La Toc

Sandals Halcyon Beach

Sandals Grande St Lucian

 

 

O que você deve saber:

• Nas proximidades de Soufrière, há águas sulfurosas, graças ao Vulcão Qualibou.

• A moeda local, o dólar caribenho ocidental, é só uma das estranhices da ilha. Outra delas é o idioma Kwéyól, o segundo mais falado. Mas comunicar-se em inglês, francês e até em espanhol não é problema.

• Embora as pousadas mais caras estejam na área de Soufrière, a rede de resorts, fica entre Castries e Rodney Bay.

• Um programa legal é cavalgar em Marquis Bay, onde está a maior propriedade de Santa Lúcia.

• Nas noites de sextas-feiras, em Islete Gros, os moradores promovem festas com música caribenha e muita salsa.

• Existem diversas casas noturnas animadas na ilha: The Lime, BackDoor&Indies, Café Panache e Annex, entre outras.

Como Chegar:

Há vôos via Estados Unidos, voando Delta Airlines ou American Airlines, lembrando da necessidade do visto americano.

Não Perca: 

– Visite a ilha toda de bicicleta , existem opções para ciclistas iniciantes e também para os mais experientes.

– Observação de baleias e tartarugas: são aproximadamente 20 espécies de baleias que visitam a ilha ao longo do ano e as tartarugas são abundantes na ilha, devido à proteção ambiental local.

Compras:

Pointe Seraphine, zona livre de impostos, com várias lojas de perfumes, cristais, jóias, e roupas, assim como artesanato local (trabalho em madeira).

La Place Carenage, em Castries, e J.Q. Mall, em Rodney Bay, também são áreas livres de impostos.

– Artesanato: Casa Caribelle, aprecie os artesãos fazendo tapetes estampados e pinturas enquanto faz as compras na boutique exótica do local.

– Na Rede Sandals, o mergulho está incluído, porém os passageiros terão que portar o certificado de mergulho internacional. Terão a estrutura da PADI localizada no hotel, com equipamento necessário e instrutores diariamente (exceto no dia da chegada e da saída por conta da pressurização do avião).

Anote

Aeroporto: Aeroporto Internacional de Hewanorra, em Vieux (UVF)

Capital: Castries

Moeda: Dólar caribenho oriental (1 dólar americano equivale a 2.70 dólares caribenhos orientais)

Idioma: Inglês

Visto: Sim, o visto americano, devido à conexão nos Estados Unidos

Vacinas: Febre amarela

Código de telefone: 1 758

Eletricidade: 220V

Melhor época para viajar: Temperatura média anual de 22 a 29ºC, sendo que no segundo semestre pode haver a visita de furacões. A época de chuvas vai de maio a agosto.

Fonte: Drift; Viajando a Dois; St. Lucia Tourist Board.

2 Comments

Uma praia para cada estilo: 10 opções ao redor do mundo

Acho que quase todo mundo gosta de praia.

Mas cada um tem a sua preferência e estilo. Alguns preferem relaxar em praias de areia branquinha, outros gostam de praticar esportes e curtir a natureza. E ainda há aqueles que são mais chegados a um clima de romance.

Então se você adora praia, confira uma lista com os melhores destinos de praias feita pela revista Condé Nast!

Tasmânia – Aventura

Essa ilha ao sul da Austrália é definitivamente um destino de aventura. Praias desertas e incomparáveis se misturam a uma mata de tirar o fôlego. Recentemente, uma trilha de quatro dias foi aberta, possibilitando uma caminhada o levará a lugares incríveis. Os surfistas são privilegiados.

África do Sul – Uma praia Africana

Se na África, os elefantes e as girafas atraem turistas terra adentro, no mar, as baleias são um ótimo motivo para conferir o litoral. Na cidade sul-africana de Hermanus, os mamíferos podem ser vistos e escutados do alto das falésias: uma experiência única. O período que os animais passam pela costa é entre junho e dezembro.

Croácia – Praia para Velejar

Esqueça a ideia de ficar na areia relaxando. Na Croácia, a ordem é pegar um barco e seguir os rumos dos ventos. Quase toda costa possui formação rochosa, ou seja, não há praticamente praias. Mas a cor cristalina das águas impressiona e é um convite ao mergulho. A dica é ancorar a embarcação na região das Ilhas Paklinski.

 

St. Barths – Casa de praia

Como já havia escrito no blog, essa ilha caribenha oferece alguns dos melhores hotéis de praias do mundo. Não é à toa que várias personalidades já passaram por lá. O Eden Rock, com suas duas vilas privadas chamadas de Villa Nina e Villa Rockstar, têm galeria de arte, cinema, mordomo, piscinas e um restaurante comandado pelo renomeado chefe francês Jean-Claude Dufour. Além disso, praias paradisíacas ficam a apenas alguns passos do hotel.

Ibiza – Festa!

Quem gosta badalação já têm seu destino. Ibiza é o lugar onde a festa nunca acaba. E para completar, o ano passado foi lançado o hotel Villa Rica, no bairro onde tudo acontece: Cala Jondal. Lá estão as melhores casas noturnas da ilha como a Blue Marlin. Mas não esqueça de conferir umas das praias mais lindas em frente ao hotel.

key-west

Key West – Clássica

Na costa da Flórida, a ilha de Key West vem sendo retiro de artistas e intelectuais. As típicas casas chiques de clima rústico e coloridas de cores pastel se distribuem na borda da praia local. Atividades como pesca, mergulho e de jet-ski são super comuns. O ponto de encontro fica no Sunset Celebration, onde todos vão celebrar o pôr do sol na praça Mallory Square.

Fernando de Noronha – Praia conservada

Noronha não poderia ficar de fora. O arquipélago de natureza intacta e praias de beleza indiscutível, possui um santuário marinho, com uma fauna em extremo equilíbrio, ao ponto de tubarões serem inofensivos. E se mergulhar é maravilhoso, um outro programa imperdível é acompanhar a desova das tartarugas ou seus primeiros passos rumo ao mar na Praia do Leão.

Polinésia Francesa – Exótica

O destino dos sonhos de qualquer casal em lua de mel. Resorts de luxo colocam seus bangalôs na beira da cristalina água do Oceano Pacífico: um convite para os apaixonados. A ilha mais indicada é Bora Bora. Mas escolher qualquer outra ilha do arquipélago é garantido mar azul das mais diferentes tonalidades e uma natureza exuberante que deixa qualquer um de queixo caído.

Tailândia – Ecologicamente correto

Perto da fronteira com Camboja, a ilha de Koh Kood abriga o resort Soneva Kiri, uma nova referência em turismo de luxo. A graça é que o lugar consegue ser chique ao mesmo tempo que possui uma consciência ecológica. Todos os cômodos do hotel foram construídos a partir de materiais locais, sem agredir a natureza. Desfrute de spa, cinema ao ar livre e jantares de gala.

Espanha – Esportes

No ponto onde o Mediterrâneo se encontra com o Oceano Pacífico, o forte vento da praia de Tarifa torna seus 14 quilômetros de areia um ótimo local para a prática de windsurfe ou kitesurfe. Após um dia de intensa atividade física, aproveite para relaxar nos bares regionais tomando uma boa cerveja no final de tarde ou comendo tapas a noite.

Fonte: Drift; Terra; Bestdest.

6 Comments

Bali

Sempre fui fascinada por destinos exóticos, culturas diferentes e lugares com paisagens de tirar o fôlego. A Indonésia estava na minha wish list há algum tempo.

Bali é uma das 13 mil ilhas da Indonésia e a província desse país. Faz parte das Pequenas Ilhas de Sonda e fica entre as ilhas de Java e Lombok.

Dempassar é a capital, conhecida por suas manifestações culturais, como a dança, a escultura, a pintura, o trabalho em couro e metais e a música.

Confesso que depois de ler o livro e ver o filme Comer, Rezar e Amar, fiquei mais fascinada ainda.

O local é um paraíso natural e o contato com a natureza nos deixa mais propensos ao amor, seja por quem está ao nosso lado, ou por amor a si próprio. Em Bali, praticamente tudo nos remete ao romance: a hospedagem, a população (sempre alegre e simpática), a culinária, e a beleza da ilha.

Para quem gosta de mergulho ou surf, Bali consegue aliar bons mergulhos com atividades também fora d´água. A felicidade dos surfistas que chegam a Bali é contagiante!

O lado confuso da ilha se dá pelo transporte público precário e trânsito caótico – não só pela mão inglesa, mas pelas milhares de motos que não respeitam qualquer sinalização.

Eu recomendo a utilização de uma agência de viagem ou um guia local para fazer os passeios com mais tranqüilidade.

Andar de táxi apenas do hotel para a vila de Kuta para fazer compras. Dessa forma os dias em Bali serão muito mais produtivos!

Não deixem de conhecer alguns templos, onde se aprende muito sobre a cultura local. É praticamente uma aula sobre arte e arquitetura.

Sugiro os templos Tanah Lot, Uluwatu, o templo de Sangeh (ao lado da floresta dos macacos) e o templo de Besakih – o templo mãe, o maior de todos, aos pés do vulcão Agung.

Quando visitarem o templo de Sangeh não deixem de visitar a Floresta dos Macacos. Lá, centenas de macacos convivem pacificamente com os turistas.

Eles ficam em todos os lugares, sempre a espera de uma fruta ou amendoim. Se você for com objetos soltos, como boné, óculos ou jóias, tenha cuidado com uma aproximação maior! Apesar de serem amigáveis, eles adoram toda e qualquer novidade.

Assistir uma dança é outra sugestão a se considerar. Não se trata de qualquer dança, é praticamente um espetáculo.

Eles combinam boa música, coreografia e um belíssimo figurino. A dança do Barong é a mais procurada e é apresentada em diferentes lugares.

Visitar a vila dos artesãos também não pode ficar fora do roteiro. A ilha reúne um grande número de artesãos em vilas.

Na vila de Ubud ficam os pintores. A vila de Celuk é a vila dos artesãos que trabalham com prata. Os mais procurados são os artesãos que fazem esculturas em madeira. Cada uma mais impressionante que a outra.

Para conhecer bem a ilha, o ideal é fazer paradas estratégicas. A ilha é grande e a distância entre os pontos turísticos é enorme.

Aproveitem para conhecer um dos mercados de frutas e uma plantação de arroz – são milhares espalhadas pela ilha. Em outra ocasião não deixem de almoçar com a bela vista do vulcão e o lago Batur ao fundo ou pegar carona num elefante em Bakas.

É difícil expressar com clareza a real beleza de Bali, mas passar uns dias na ilha é o suficiente para chegarmos a conclusão que estar em Bali é como viver uma nova experiência de vida – a céu aberto!

Como chegar:

A KLM voa via Amsterdam e faz uma conexão em Jacarta. A Air France junto com a Qatar Airways tem um vôo para Doha via Paris. Há voos saindo da Austrália (Sidney) para Bali, pela Qantas.

Onde ficar:

Club Med Bali http://www.clubmed.com

Four Seasons Sayan http://www.fourseasons.com/sayan

Nusa Dua Hotel http://www.nusaduahotel.com

The Samaya Bali http://www.thesamayabali.com

Vistos – O visto para brasileiros é obtido na chegada. Custa US$ 25,00.

Melhor época para visitar – O clima é quente o ano inteiro. Entre os meses de abril e outubro é a estação de seca. Entre os meses de novembro e março chove bastante.

Fonte: Drift Turismo; Bestdest. 

4 Comments

República Dominicana

 

Aqui no Brasil, uma pulseirinha de plástico não vale nada. Mas um adereço assim vale muito neste país com mais de 1,5 mil km de litoral.

Essa pulseira especial significa que você está hospedado em um dos mais de 400 resorts com sistema All Inclusive. E isso quer dizer que tudo está incluído na diária. Qualquer refeição, qualquer festa e até bebidas alcoólicas ilimitadas — e é bom não esquecer de que o rum desta nação tem ótima qualidade.

As principais redes de resorts escolheram a República Dominicana por um motivo óbvio: aqui estão algumas das praias mais aliciantes do Caribe. Além de montanhas, florestas e vasta natureza ao redor das ilhas.

Os Resorts são luxuosíssimos mas a maioria cobra diárias bem mais acessíveis — e com um custo/benefício alentador.

A despeito do preço, os resorts têm mais em comum que apenas o bracelete e a interminável oferta de refeições.

Todos eles contam com um conjunto aquático gigante, o rum Brugal (puro ou em misturas sortidas), a cerveja Presidente e os shows em que se dança o animado merengue (no início da noite).

punta-cana7

Santo Domingo, a capital, não é apenas o aeroporto para entrar numa van e seguir rumo aos resorts.

A capital têm razão em se gabar do patrimônio histórico. Ficam aqui a primeira escola das Américas, o primeiro hospital, a primeira rua (chamada Calle de las Damas) etc.

Entre as atrações históricas de Santo Domingo, não se esqueça da Fortaleza Obama.

Mas reserve mais tempo para o Alcazár de Colón, um imponente palácio de pedra. Foi erguido para servir de morada para Diego Colombo — o filho do descobridor.

Não deixe de visitar a primeira igreja das Américas, a Catedral Santa Maria de La Encarnación.

punta-cana3

Entre os muitos atributos a ilha, o mar é um dos mais serenos do Caribe.

Todos adoram o merengue e a maioria considera a ex-vila de pescadores Bayahibe a detentora das praias mais belas do país.

Claro que há muitos resorts e, ainda, um passeio agradável: ir de lancha rápida a Isla Saona.

Fica ao lado da reserva ambiental Parque Nacional del Este.

Partindo de Bayahibe, chega-se a Altos de Chavón, uma vila na montanha inspirada na arquitetura renascentista italiana.

O lugar tem ótimos restaurantes e um anfiteatro para 5 mil pessoas. O resort mais elegante do país fica ali também. O Casa de Campo é um projeto que contou com a colaboração do estilista dominicano Oscar de la Renta.

Punta Cana foi totalmente planejada.

No meio de todo o planejamento as pesquisas revelaram que no leste da ilha chovia ainda menos, então foi só encontrar o ponto ideal: 4 km de praias com as palmeiras mais altas do Caribe.

Em 1981, construíram o primeiro resort, o Club Med. O aeroporto, quatro anos mais tarde.

Os resorts têm tanto conforto que é difícil sair deles. Mas saia ao menos para navegar até a Praia de Juanillo. Quem está em lua de mel se depara com resorts exclusivos para casais, como também paisagens maravilhosas e atendimento personalizado.

Recomendo o Hotel Paradisus Punta Cana, um dos mais luxuosos das Praias de Bávaro. Mistura luxo com facilidades, incluindo o Servicio Real, tratamentos corporais e massagens em seu exclusivo Spa.

Se o orçamento é menor, sugiro o Hotel Punta Cana Princess All Suite Resort. É uma excelente opção para quem busca qualidade e economia. O hotel também dispõe do sistema All Inclusive e oferece uma estrutura completa.

princess-punta-cana

O que você deve saber:

• Não faz muito sentido alugar automóvel. Os resorts fazem os traslados ou chamam um táxi a hora em que você resolver sair. Em Santo Domingo o trânsito não ajuda.

• A língua é o espanhol, mas nos resorts os funcionários também falam inglês. Além disso, o povo se esforça bastante para entender o português.

• Se você gosta de Cassinos, prepare-se, a República Dominicana é um paraíso para os jogadores! Só não vão encontrar cassinos na região de Bayahibe.

• Se for andar de taxi em Santo Domingo, pergunte no hotel qual o valor médio que você pagará no trecho solicitado e negocie com o taxista, para não ter uma surpresa desagradável no final.

• Curiosamente, o prato típico do país é muito semelhante àquela comida do nosso cotidiano: arroz branco, feijão-preto e carne bovina. Mas os temperos são bem diferentes e mais picantes. O prato chama-se Bandera Dominicana porque tem as cores da bandeira nacional. Outro prato típico: o Mofongo é feito com pernil, pimenta do reino, ervas frescas, camarões, alho e banana. Bem diferente!

• O rum e a cerveja do país são de boa qualidade. Mas, se gostar de bebidas, ao reservar hotéis com sistema all inclusive, certifique-se se estão incluídas bebidas produzidas fora da República Dominicana. Por uma pequena diferença de valores, você se hospeda em resorts que trabalham com bebidas de várias nacionalidades.

COMO CHEGAR

Do Brasil (São Paulo), há vôos pela GOL direto para Punta Cana. As companhias aéreas com melhores conexões para Santo Domingo são: Avianca, Copa, Lan, Taca, e American Airlines via Miami. A Copa e a Lan também chegam em Punta Cana.

Em Santo Domingo não deixe de visitar:

– El Faro de Colón

– Museu Alcazar de Colon e Museu das Casas Reais

– Los Tres Ojos Parque Nacional

Restaurantes:

Pat’e Palo

La Briciola

Em Punta Cana não deixe de fazer:

– Marinarium, passeio de Catamarã com oportunidade para nadar com tubarões – http://www.marinarium.com

– Excursión Bavaro Splash, passeio com lanchinhas por todo o litoral de Bavaro até chegar aos recifes de corais para snorkel.

Anote

Aeroporto: Aeroporto Internacional Las Américas, em Santo Domingo ou Aeroporto Internacional de Punta Cana

Capital: Santo Domingo

Moeda: Peso Dominicano (US$ 1 equivale a 36 pesos dominicanos)

Idioma: Espanhol

Visto: Não. Formulário de imigração e tarjeta de turismo no valor de US$10, deve ser comprada no aeroporto de chegada no país

Vacinas: Febre amarela. A vacina não é obrigatória, mas recomendada

Fuso horário: 02 horas a menos que Brasília.

Melhor época para visitar: Todo o ano, temperatura média de 28ºC, porém de agosto a novembro existe o risco de furacões.

 

Fonte: Viajando a Dois, Drift, Adv.

Foto Divulgação

10 Comments

10 cidades na Europa que você precisa conhecer

 

1 – Amsterdã

A capital holandesa, com seus canais, bicicletas e casas antigas, possui a peculiaridade de ser uma cidade cosmopolita com cara de pequena.  É charmosa, encantadore e além disso, a liberdade que impera lá não é encontrada em nenhum outro lugar da Europa. Museus de arte como Rembrandthuis e Van Gogh são paradas obrigatórias. O melhor período é na primavera européia, quando as tulipas florescem.

2 – Barcelona

Boa culinária, fantástica arquitetura e muito agito. Barcelona é hoje uma das mais badaladas e vibrantes cidades do velho continente. Aproveite os tradicionais restaurantes de tapas e bares, os diversos concertos de música catalã e museus de Antonio Gaudí até Picasso. Fuja da alta temporada do verão europeu onde tudo fica mais cheio e tumultuado e se puder visite a cidade no outono ou primavera.

3 – Berlin

Após a queda do Muro, a cidade se modernizou, mas não esqueceu sua história. Partes do muro e dos tempos de guerra fria ainda estão fincadas e o bunker onde Hitler ficou nos últimos dias de guerra pode ser visitado. Não esqueça de conferir a principal marca de Berlim: a Porta de Brandenburgo. O ideal é ir entre os meses de maio e outubro, quando a temperatura da cidade está bem agradável.

4 – Lisboa

Uma atmosfera despretensiosa com uma arquitetura diversificada faz de Lisboa uma cidade única na Europa. Visite os diversos museus e galerias de arte. Tenha tempo para saborear a culinária local. Não esqueça de lugares como Alfama, Bairro Alto e Praça do Comércio. Todas são símbolos históricos da capital lusitana. No final do verão, Lisboa está calma e esbanja sensualidade, já na primavera dias quentes intercalam com noites mais amenas.

5 – Londres

Trata-se da principal metrópole do continente europeu. Hóteis, restaurantes, lojas e boates são todas de primeira linha. A arquitetura e cultura não fica para trás. Você precisa conhecer certos  lugares como o Big Ben, a London Eye, National Gallery, British Museum, Torre de Londres e confira a troca de Guarda Real no Palácio de Buckingham. Uma cidade desse porte pode e deve ser visitada em qualquer época do ano.

6 – Milão

A capital mundial da moda é também um ótimo lugar para desfrutar de excelente culinária, ópera, igrejas e artes. Além das famosas boutiques de grife, visite o Teatro Alla Scala, os museus Pinacoteca di Breta e Leonardo da Vinci Museu de Ciência e Tecnologia e a Igreja Duomo. O calor do verão é bem forte, o ideal é  ir no começo da primavera ou outono.

7 – Paris

A mais glamourosa e romântica cidade do mundo. Tem ampla oferta de museus, restaurantes, bistrôs, café e hotéis para todos os gostos e preços. Lugares como Torre Eifel, Museu do Louvre, Centro Pompidou, Jardim Luxemburgo e Montmartre são points imperdíveis para qualquer pessoa. O melhor período, sem dúvida, é na primavera, quando a vegetação nos entornos do Rio Sena começa a florescer e a cidade ainda está tranquila. O período de Natal mostra uma Paris iluminada e enfeitada.

8 – Roma

Uma cidade carregada de história. Por mais de dois milênios, visitantes vêm conhecer as belezas de Roma como Coliseu, Pantheon, Fórum Romano, Praça da Espanha e Vaticano. Aproveite também para desfrutar do melhor da culinária italiana com muita pizza e massa. Roma deve ser visitada na primavera ou no outono, já que durante o verão o calor é muito forte.

9 – São Petersburgo

Por mais de dois séculos, os czares da Rússia governaram São Petersburgo, deixando fortes marcas na arquitetura da cidade. A grandiosidade das catedrais e dos palácios fascina. Não deixe de ir à Igreja on Spilled Blood, ao museu The Hermitage e ao marco da cidade: Admiralty. Apesar do frio, no inverno a cidade fica coberta de neve e ganha um clima especial. Para apavorados por temperaturas negativas, a pedida é a primavera.

10 – Viena

Antes considerada por muitos um local sem vida e ultrapassado, Viena se redescobriu. Além dos belos monumentos, palácios, museus e teatros de ópera, hoje a capital da Áustria possui excelentes e novas opções de restaurantes e bares. Além disso, é considerada umas das cidades européias mais fresca e bonita, com seus belos jardins. Vá para Viena no verão sem se preocupar com o calor exorbitante.

E vocês? Quais dessas cidades já visitaram?

Qual dessas cidades é a mais romântica para viajar a dois?

Deixem suas dicas também!

 

Fonte: Terra, Drift Turismo

64 Comments